As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O que você acha desta proposta para revolucionar o futebol?

gustavochacra

06 de maio de 2015 | 09h51

Por que empate ganha ponto no futebol? Não seria mais fácil fazer como no futebol americano, baseball e basquete, onde é um ponto para vitória e zero para derrota? Aliás, o futebol poderia melhorar muito se fosse um ponto para vitória, zero para derrota e zero também para o empate. Isso mesmo. Se um jogo terminasse empatado, os dois times deveriam ficar com zero. Sem nem mesmo direito à prorrogação como nos esportes americanos.

Imagine, por exemplo, o fim de um jogo, depois dos 30 minutos do segundo tempo, empatado em 1 a 1. Os dois times ou pelo menos um deles, atualmente, pode se acomodar e ficar na retranca. Com a mudança, ambos se tornariam ofensivos no fim do jogo, pois o empate vale o mesmo que a derrota. Isto é, perder de 2 a 1 ou empatar em 1 a 1 dá na mesma.

Claro, há exceções. Se os dois times estiverem disputando uma vaga para a Libertadores ou mesmo o título, um deles pode ser beneficiado por nenhum fazer ponto. Mais ou menos como Ayrton Senna e Alain Prost em um GP do Japão no passado. Mas este cenário seria raro e emocionante de qualquer maneira.

O mais interessante desta mudança é que, atualmente, o empate valer ponto não tem relevância para a classificação de um campeonato. Se fosse um ponto para vitória e zero para derrota ou empate, quase todos os campeonatos terminariam da mesma forma, levando em conta o desempate no saldo de gols.

No caso do Campeonato Brasileiro de 2014, todas as 20 posições seriam as mesmas. O Cruzeiro seria campeão, São Paulo, Inter e Corinthians iriam para a Libertadores, o Palmeiras se salvaria do rebaixamento e Vitória, Bahia, Botafogo e Goiás cairiam.

No de 2013, porém, haveria algumas mudanças na parte de baixo da tabela. Corinthians e Inter perderiam pontos, com o time gaúcho caindo para a segunda divisão. A Portuguesa não seria rebaixada. O Criciúma subiria de 14 para 10.

Os líderes dos campeonatos da Espanha, Alemanha, Itália, Inglaterra e Argentina seriam os mesmos neste ano, embora com algumas poucas mudanças em posições intermediárias da tabela.

E em Copas? Na parte de grupos, poderiam aplicar este mesmo modelo. No mata-mata, poderia seguir o modelo atual, onde um sairá vencedor de qualquer forma. Inclusive, em 2014, 15 dos 16 classificados seriam os mesmos. Apenas a Grécia teria perdido a vaga para a Costa do Marfim no saldo de gols.

Enfim, deixo aberto aqui o debate para dar zero pontos para o empate.