As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O que os números dizem sobre quem vencerá eleição nos EUA?

gustavochacra

08 de novembro de 2016 | 12h43

Hoje é dia da eleição. Faz um ano e oito meses que começou o processo eleitoral. Eu tive uma filha, que completa seis meses amanhã, durante a campanha. Enfim, o que deve ocorrer hoje? Atualizo com os últimos números de pesquisas, probabilidades e bolsas de apostas

Quem deve vencer a eleição nos EUA?

Hillary é favorita e deve vencer, segundo quase todas as previsões. Mas não dá, na minha avaliação, para cravar uma vitória dela, como fazem alguns (de qualquer forma, no fim do texto, escrevo o que eu acho). Donald Trump tem chance se tudo der certo para ele e errado para a democrata

Como estão as pesquisas nacionais?

Desde o início da disputa, Hillary liderou a média das pesquisas o tempo todo. A margem de vitória variou de 7 pontos, quando ela estava em seus melhores momentos e Trump em seus piores, e 2 pontos, quando ocorria o inverso. A diferença, embora não esteja em seu nível mais alto, cresceu nos últimos dias. Todas indicam uma vantagem acima da margem de erro de 3 pontos

Fivethirtyeight – Hillary +4 (estava 2,9% ontem e 2,9% no sábado)

Upshot/New York Times – Hillary +3,1% (estava 2,8% ontem +3,3% no sábado)

Real Clear Politics – Hillary +3,2% (estava 2% ontem e +1,8% no sábado)

Huffington Post (previsão) – Hillary +6% (estava +6% e +5% no sábado)

Hillary, portanto, melhorou sua performance nos últimos dias. A média deveria estar ao redor de 4% não fosse uma pesquisa do Los Angeles Times que, por problemas de amostragem, sempre coloca Trump à frente ou empate. Os últimos resultados entre ontem e hoje são

ABC/Washington Post – Hillary +4

Reuters/Ipsos – Hillary +3

You Gov/The Economist – Hillary +4%

CBS/New York Times – Hillary +4

Bloomberg/Selzer – Hillary +3

NBC/Wall Street Journal – Hillary +5

NBC/Survey Monkey – Hillary +7

UPI – Hillary +3

Marist – Hillary +2

Fox News – Hillary +4

IBD – Hillary +1

LA Times – Trump +3 (esta pesquisa admite ter um problema metodológico e o resultado ficaria Hillary +2)

Diante deste cenário, Hillary provavelmente vencerá o voto popular, já que as pesquisas mais sérias indicam claramente uma vitória dela. Mas isso é insuficiente para ser presidente. Especialmente porque a vantagem dela pode estar em Estados sem influência, como a Califórnia, onde ela tem 100% de chance de vitória segundo 100% dos habitantes dos EUA, incluindo o Trump. O importante é ter voto em swing state, sem predomínio de nenhum partido. E Trump pode ter vantagem neles.

Como está o Colégio Eleitoral?

Depende muito de quem faz a probabilidade e não mudou muito de sábado para agora. Mas, basicamente, podemos resumir assim, levando em conta uma série de previsões. Leve em conta que são necessários 270 votos no Colégio Eleitoral

Hillary tende a ter no mínimo 267

Trump tende a ter no mínimo 215

Sobram, no entanto, os seguintes Estados onde a pesquisa está tecnicamente empatada

Nevada (6), Florida (29), Carolina do Norte (15), New Hampshire (4) e segundo distrito do Maine (2)

Trump, para ser eleito, precisa vencer a Florida, Carolina do Norte, Nevada e New Hampshire (ou o segundo distrito do Maine). Além disso, não pode perder nenhum dos Estados que tendem para ele. Em alguns, como Ohio, Iowa e Arizona, ele é favorito, mas Hillary tem chance. Qualquer derrota e Hillary será presidente.

Para Hillary, a tarefa é mais simples. Ela precisa vencer apenas um destes Estados e vence a eleição. Claro, precisa prestar atenção em Michigan, Colorado, Wisconsin e Pensilvânia, onde ela é favorita, mas Trump pode surpreender (neste caso, provavelmente ele teria vencido os outros Estados). Eu ficarei muito atento a Michigan, onde as pesquisas não tem muita qualidade. Nas primárias, Hillary tinha 20% de vantagem sobre Bernie Sanders, mas perdeu. Eu colocaria Michigan entre os Estados imprevisíveis, o que abre uma porta importante para Trump. Mas a maioria dos analistas discorda de mim e crava vitória de Hillary neste Estado

Ainda assim, Hillary claramente é favorita no Colégio Eleitoral. Se não levarmos em conta Michigan, ela precisa vencer Florida OU Carolina do Norte OU Nevada OU New Hampshire. E há sinais de votos antecipados de que ela é favorita para levar Nevada, por exemplo. Trump, por sua vez, tem de vencer Florida E Carolina do Norte E Nevada E New Hampshire. Qualquer derrota é fatal para ele, a não ser que haja uma surpresa na Pensilvânia, Michigan (insisto mais uma vez neste Estado) ou Colorado, como dito acima. Enfim, OU, como sabemos, é mais simples do que E

E como estão os sites de probabilidade?

Todos indicam provável vitória de Hillary. De ontem para hoje, a margem dela se alterou pouco. E há uma variação grande os sites de probabilidade

Fiverthirtyeight – Hillary 71,6%

Princeton Election – Hillary 99

Upshot/New York Times – Hillary 84%

Predictwise – Hillary 88%

Huffington Post – Hillary 98%

Reuters – Hillary 90%

CNN – Hillary 92%

Daily Kos – Hillary 96%

E as bolsas de apostas?

Hillary, no dia 26 de outubro, tinha 83% de chance de vencer nas bolsas de apostas. Mas este número chegou a despencar para 69% na quinta. No sábado, estava em 75%. Ontem tinha atingido 82,1%. Portanto, depois de uma queda abrupta, a probabilidade voltou rapidamente para o patamar normal. Em parte, se deve ao anúncio do FBI de que não há nada de errado. Mas voltou a cair de ontem para hoje, especialmente por especuladores, e está em 79%

Qual a minha conclusão?

Hillary teria vencido a eleição no voto nacional e colégio eleitoral todos os dias da campanha. Logo, se olharmos o “filme”, há uma tendência a achar que ela é favorita. Mas, se olharmos a foto, a democrata não está no seu melhor nem em seu pior momento

Caso você concorde com Princeton, Daily Kos e o Huffington Post, Hillary está eleita.

No Predictwise, na Reuters e na CNN, Hillary praticamente será eleita, com a chance de Trump ao redor de uma em dez

No caso do NYTimes, a chance de Trump é 1/7. Não podemos esquecer 1/8 é a chance de um pai ter 3 filhos homens (o meu teve) ou de jogar uma moeda para cima e dar “coroa” 3 vezes seguidas.

No caso do Fivethirtyeight, a chance de Trump é enorme. Ligue seu cronômetro e espere um pouco. De olho fechado, aperte “stop”. Se der 1 a 65 centésimos equivale a probabilidade de Hillary vencer. Se der de 66 a 00, a de Trump

Guga, para de tentar tirar da reta e diz o que você acha?

Eu consegui fazer algumas previsões acertadas, que não envolvem eleições, como no caso de Bashar al Assad. Desde 2011, sempre cravei, e ainda cravo, que ele não será deposto na Síria. É um tema que acompanho muito. Mas, embora seja fanático por acompanhar a eleição dos EUA, sou muito cauteloso e me posiciono com o New York Times (84% de chance). Tenho meu mapa eleitoral, mas é subjetivo. Acho impossível saber o que ocorrerá na Florida e Carolina do Norte, que são Estados gigantes e decisivos. Se fosse da campanha de Hillary, estaria otimista com cautela. E não teria perdido a esperança se fosse da campanha de Trump.

Mas tenho de dizer, certo? Ok. Vou ceder. Só deixo claro que não se trata de uma previsão como a de Assad (onde cravo 100% hoje de novo que ele seguirá no poder). Hillary vencerá com 300 a 315 votos no Colégio Eleitoral. Não consigo cravar vitória de ninguém na Carolina do Norte (por isso a variação). Dou New Hampshire para Trump. Nevada e Florida, para Hillary. E Michigan… Sei lá. Nem quero me aprofundar. Mas Michigan… Se eu fosse Trump, esta seria a minha esperança. São 16 votos no Colégio Eleitoral. No caso da Pensilvânia, creio que, se Trump vencer, ele terá vencido também os outros swing states.

Guga Chacra, blogueiro de política internacional do Estadão e comentarista do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários na minha página no Facebook. Peço que evitem comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores. Também evitem ataques entre leitores ou contra o blogueiro.  Não postem vídeos ou textos de terceiros. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a minha opinião e não tenho condições de monitorar todos os comentários

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor) e no Instagram

Tendências: