As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que a hipócrita Arábia Saudita não recebe refugiados sírios?

gustavochacra

04 Setembro 2015 | 16h12

É sim uma vergonha a Arábia Saudita e outras nações do Golfo Pérsico não receberem nenhum refugiado sírio. Zero. Inacreditável. São alguns dos países mais ricos do mundo e mesmo assim mantêm suas portas fechadas para pessoas aterrorizadas por uma das guerras mais sangrentas do século 21.

No caso dos sauditas, ainda é pior. O regime de Riad acabou de anunciar a compra de US$ 1 bilhão de dólares em armamentos dos EUA. Estas armas servirão para alimentar a guerra dos sauditas no Yemen, onde centenas de civis têm sido mortos nos bombardeios da Arábia Saudita – bombardeios que servem para fortalecer a Al Qaeda na Península Arábica.

A Arábia Saudita, que possui um regime de apartheid contra as mulheres e os xiitas, também patrocina ao redor do mundo a ideologia wahabbita – a mesma do ISIS (Grupo Estado Islâmico ou Daesh), da Al Qaeda, do Taleban, do Boko Haram e do Al Shebab. Emirados Árabes, Omã, Qatar e Kuwait são outras nações ricas do Golfo Pérsico que não recebem refugiados.

 Mas e no resto do Oriente Médio? Bom, vamos por partes.

. O Líbano, segundo a ONU, tem 1,1 milhão de refugiados sírios – ou uma em cada 4 pessoas no país (sem falar nos 500 mil refugiados palestinos)

. A Turquia, aproximadamente 2 milhões

. A Jordânia, 650 mil

. O Egito, pouco mais de 100 mil.

. Yemen e Iraque estão em guerra. Ainda assim, o Iraque recebe 250 mil refugiados (mais do que qualquer país da Europa)

Todos estes países, portanto, recebem mais refugiados do que qualquer nação europeia, incluindo a Alemanha. O Líbano, com 4 milhões de habitantes e uma economia pequena, recebeu mil vezes mais refugiados do que a Inglaterra.

Certo, mas e o Irã e Israel, por que não recebem refugiados sírios?

. O Irã é o país que mais recebe refugiados das guerras do Iraque e do Afeganistão. São centenas de milhares. Logisticamente, os sírios têm dificuldade de cruzar o Iraque até chegar ao Irã

. Israel, por sua vez, enfrenta problemas de segurança interna e teme que terroristas se infiltrem entre os refugiados – um argumento correto, mas que poderia ser usado por qualquer país do mundo, incluindo o Líbano, Jordânia e Turquia, que são alvos de terrorismo. Por outro lado, Israel recebeu ao longo de sua história milhões de refugiados perseguidos na Europa, na ex-União Soviética e no mundo árabe.

Enfim, mais uma vez, as nações ricas do Golfo Pérsico, como a Arábia Saudita, são as que possuem maior capacidade de receber refugiados sírios.

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus