As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que a Justiça do Brasil é elogiada no exterior?

gustavochacra

04 de março de 2016 | 20h32

O Brasil enfrenta uma de suas maiores crises políticas e econômicas em sua história. Mas, ao mesmo tempo, começam a surgir crescentes elogios no exterior à evolução no respeito às leis e no combate à corrupção no território brasileiro, como vimos hoje. Aos poucos, a Justiça brasileira se transforma em uma das mais transparentes dos países emergentes, superando Índia, Turquia, México, Rússia e China, ainda que esteja aquém de nações mais desenvolvidas.

Dani Rodrik, professor de economia da Universidade Harvard, nos EUA, afirmou em entrevista publicada no Medium o seguinte

“Brazil, I think, is deeply underrated right now. I think that when you look at what’s happening, on the one hand, in Brazil it shocks you that there is all this widespread corruption with Petrobras that seems to go all the way up. On the other hand, when you look at how they’re dealing with this situation it’s incredibly impressive. It’s something that even in an advanced country you wouldn’t think would happen, that there you have these prosecutors and judges who are actually following the rule of the law.”

Ian Bremmer, um dos mais respeitados analistas políticos americanos e dono da Eurasia, principal consultoria de risco político do país, escreveu no Twitter

“Among emerging markets, the power of rule of law and an independent judiciary in Brazil is remarkable.”

Compare este cenário com a Venezuela, Rússia, Turquia e mesmo a Argentina, que sequer consegue investigar o assassinato de um juiz e terminar as investigações de um atentado terrorista ocorrido em 1994.

Guga Chacra, blogueiro de política internacional do Estadão e comentarista do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários na minha página no Facebook. Peço que evitem comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores. Também evitem ataques entre leitores ou contra o blogueiro.  Não postem vídeos ou textos de terceiros. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a minha opinião e não tenho condições de monitorar todos os comentários

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor) e no Instagram

Tendências: