As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que há mais micro-atentados do que mega-atentados?

gustavochacra

23 de outubro de 2014 | 18h02

No fim, foi um lobo solitário que cometeu o atentado no Canadá. Ele não possuía ligação com o ISIS (Grupo Estado Islâmico ou Daesh), embora não se descarte que tenha sido inspirado pela organização. Além disso, era um recém convertido ao islamismo e adotou uma versão radical da religião. Antes mesmo da conversão, já apresentava problemas criminais e a família havia alertado as autoridades.

Ataques de lobos solitários, sem o envolvimento de organizações terroristas, cresceram nos últimos anos. São os “micro-atentados”, como o do Canadá e o da Maratona de Boston. Já os mega-atentados, como o 11 de Setembro, o de Madri, Londres e embaixadas na África, atualmente, estão restritos alvos no Iraque, na Síria e, em menor escala, no Líbano. Mesmo Israel tem visto uma onda de micro-atentados, como ontem, mas os mega ataques terroristas contra boates e ônibus, como na Segunda Intifada, zeraram.

Esta mudança se deve a dois principais motivos

. A melhora na segurança interna destes países (EUA, Grã Bretanha e Israel)

. Há uma mudança de estratégia destas organizações, com foco maior nas guerras do Oriente Médio

Isso, porém, não é definitivo. Uma falha na segurança a dos grandes países ocidentais aliado a novas motivações, como a intervenção no Iraque e na Síria, pode levar ao retorno dos mega-atentados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.