As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que mulheres não cometem ataques como os de Newtown?

gustavochacra

17 de dezembro de 2012 | 13h30

Sempre quando um atirador decide matar pessoas aleatoriamente, como Adam Lanza na sexta-feira em Newtown, Connecticut, fico me perguntando porque sempre são homens, e nunca mulheres, que cometem estas ações. Da mesma forma que não existem ditadoras. Já escrevi sobre isso no passado.

Claro, existem assassinas e ladras mulheres. Mas não vemos nenhuma delas pegar armas e sair disparando contra pessoas inocentes como o rapaz do filme do Batman e o jovem de Newtown. Também existem péssimas governantes mulheres, mas nenhuma delas é ditadora.

Obviamente, o número de homens que cometem ataques como os de sexta-feira são estatisticamente irrelevantes. O impressionante mesmo é ser de zero no caso das mulheres.

Voltei da folga hoje

Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

O jornalista Gustavo Chacra, correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo” e do portal estadão.com.br em Nova York e nas Nações Unidas desde 2009 e comentarista do programa Globo News Em Pauta, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já fez reportagens do Líbano, Israel, Síria, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Egito, Turquia, Omã, Emirados Árabes, Iêmen e Chipre quando era correspondente do jornal no Oriente Médio. Participou da cobertura da Guerra de Gaza, Crise em Honduras, Crise Econômica nos EUA e na Argentina, Guerra no Líbano, Terremoto no Haiti, Furacão Sandy, Eleições Americanas e crescimento da Al-Qaeda no Iêmen.  No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires. Este blog foi vencedor do Prêmio Estado de Jornalismo, empatado com o blogueiro Ariel Palacios