As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que é errado dizer que o Hezbollah apoia o Hamas?

gustavochacra

04 de agosto de 2014 | 16h15

O Hezbollah é libanês e nunca se envolveu diretamente no conflito entre israelenses e palestinos. Em todos os confrontos entre o Hamas e Israel, o grupo libanês manteve distância, garantido a ordem na fronteira libanesa. Inclusive, combatendo facções palestinas com base no Líbano que chegaram a lançar foguetes contra o norte de Israel.

Por isso, esta postura do Hezbollah por si só já desmentiria a informação publicada em alguns jornais como a Folha de que o Hezbollah intervirá no conflito para defender o Hamas. Mas, além disso, há outros fatores

1. O Hezbollah rompeu com o Hamas quando o grupo palestino traiu Bashar al Assad na Síria e apoiou os rebeldes, que já mataram centenas de membros do grupo libanês. Verdade, há informações de que as Guardas Revolucionárias do Irã (não o libanês Hezbollah) teriam se reaproximado das Brigadas Qassam, braço armado do Hamas, neste ano, embora o regime de Teerã ainda esteja formalmente rompido com o grupo palestino por causa de Assad

2.  O Hezbollah está mais preocupado com a Guerra da Síria do que com Israel. Não tem incentivo de abrir uma nova frente, especialmente agora com os confrontos deste fim de semana entre o Exército do Líbano e a Frente Nusrah (grupo rebelde sírio ligado à Al Qaeda) em Arsal, uma cidade libanesa na fronteira com o território sírio, na qual dezenas de pessoas morreram

3. O Hezbollah, mesmo que não houvesse a Guerra da Síria, não colocaria em risco sua aliança política com os cristãos libaneses da Frente Patriótica Nacional em um confronto com Israel no qual sairia perdedor

4. O Hezbollah apenas defende seus interesses. A Guerra em Gaza não é do seu interesse e não traria benefício algum ao grupo

5. Finalmente, mesmo se o Hezbollah quisesse, deve haver um cessar-fogo em Gaza

Obs. Você vai me perguntar sobre as declarações do xeque Nasrallah, a favor dos palestinos. Retórica pura. O Hezbollah está queimado do mundo sunita por seu apoio ao regime de Assad na Guerra da Síria e usa o apoio aos palestinos como tática de relações públicas

Obs2. O Hezbollah é grupo xiita, aliado de partidos cristãos no Líbano. O Hamas é um grupo sunita. Aliás, não existe praticamente nenhum palestino xiita

Não sei como faz para publicar comentários. Portanto pediria que comentem no meu Facebook (Guga Chacra)  e no Twitter (@gugachacra), aberto para seguidores

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus. Escrevam para mim no gugachacra at outlook.com. Leiam também o blog do Ariel Palacios

Tudo o que sabemos sobre:

Guga Chacra

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: