As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que o regime da Venezuela ameaça a Guiana e o Brasil ignora?

gustavochacra

30 Setembro 2015 | 11h47

Há um conflito entre dois países que fazem fronteira com o Brasil e quase ninguém sabe. A Venezuela ameaçou a Guiana caso o país seguisse explorando petróleo em um território na parte ocidental desta ex-colônia britânica. As duas nações chegaram inclusive a convocar seus embaixadores, apesar de estes terem voltado a seus postos nos últimos dias.

Na ONU, o presidente da Guiana, David Granger, acusou a Venezuela de impedir o país de explorar seus recursos naturais, chegando a ameaçar investidores. Disse que os venezuelanos ocupam parte do território, proibindo explorações de petróleo por partes dos guianenses. O regime de Maduro também foi acusado de tentar anexar a totalidade da zona marítima da Guiana, além de cinco das dez regiões.

Apenas para colocar no contexto, a disputa entre a Guiana e a Venezuela envolve cerca de 40% do território guianense, ao oeste do rio Essequibo, que deságua no mar a poucos quilômetros de Georgetown, capital do país. Esta é uma região rica em petróleo. A disputa foi resolvida no século 19, quando a Guiana era uma colônia britânica, mas a Venezuela nunca aceitou. Durante o regime de Chávez e agora no de Madura, as ameaças venezuelanas se intensificaram.

A Guiana é um pequeno país da América do Sul, que possui 1.308 km de fronteira com o Brasil. A sua composição étnica é bem diferente do restante do continente. Mais de 40% dos guianenses têm origem no que hoje seria a Índia e o Paquistão. Eles foram levados para a Guiana quando o país era território britânico. Outros 30% são negros descendentes de escravos. Há 15% de habitantes multirraciais e 10% de indígenas. O restante é composto por portugueses, brasileiros e chineses.

Único país de língua inglesa da América do Sul, os guianenses são um das nações com maiores diásporas do mundo. Cerca de 55% da população vive no exterior (o número sobe para oito em cada dez se levarmos em conta quem tem diploma universitário) – é um das cinco maiores colônias de Nova York. Aliás, muitas pessoas que você imagina ser da Índia nos EUA são na realidade guianenses.

Com 735 mil habitantes, é um dos raros países do mundo, junto com o Líbano, sem maioria religiosa. Cerca de 30% são protestantes, 30% hindus, além de minorias católicas (10%) e Islâmica (10%).

A economia é dependente da exportação de commodities. Os principais parceiros comerciais são os EUA e o Canadá. O Brasil praticamente ignora o vizinho, que fará 50 anos de independência no ano que vem. A cantora Rihana, uma das maiores celebridades do mundo, tem origem guianense.

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus