As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que, para a Turquia, Assad e os curdos são piores do que o ISIS?

gustavochacra

09 de outubro de 2014 | 13h18

A Turquia considera os curdos da Síria (não os do Iraque) e o regime de Bashar al Assad inimigos piores do que o ISIS, também conhecido como Grupo Estado Islâmico no Ocidente e Daesh no mundo árabe. Esta postura explica o motivo de o Exército turco não estar protegendo a cidade curda-síria de Kobani dos avanço do ISIS. Se quisessem, as forças turcas facilmente poderiam defender esta área a poucos quilômetros da fronteira.

Mas, antes de qualquer ação, a Turquia vai querer garantias de dois lados – dos EUA e do PKK, organização curda considerada terrorista pelos turcos.

 1. No caso americano, o governo do premiê Recep Tayyip Erdogan quer

 a) o estabelecimento de uma zona de exclusão aérea na Síria, impedindo os bombardeios das forças do regime

 b) ações americanas para derrubar Bashar al Assad, não apenas para combater o ISIS

Os EUA podem, no médio prazo, estabelecer esta zona demandada pelos turcos, embora seja difícil sem o aval do Conselho de segurança

 2. No caso do PKK, o governo de Erdogan tentará concessões nas negociações de paz domésticas previstas para o ano que vem. Vale lembras que o PKK exerce influência sobre os curdos sírios, mas não sobre os curdos iraquianos

 3. Por último, a Turquia também teme que o ISIS, pois

 a)    hoje não oferece perigo ao país, passe a se voltar também contra os turcos

b)    mais grave, divulgue informações ligando o governo de Erdogan à organização, mesmo que indiretamente, ao ter permitido a entrada de jihadistas para lutarem ao lado do ISIS contra Assad.

Não sei como faz para publicar comentários. Portanto pediria que comentem no meu Facebook (Guga Chacra)  e no Twitter (@gugachacra), aberto para seguidores

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus. Escrevam para mim no gugacha

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.