As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que Trump (e Obama) não condena Arábia Saudita por terrorismo?

gustavochacra

30 Janeiro 2017 | 13h15

Acho errada a lei de Donald Trump para barrar a entrada nos EUA temporariamente refugiados de todo o mundo e cidadãos de sete países (Irã, Iraque, Síria, Yemen, Somália, Líbia e Sudão). Mas no meu post anterior tratei desta questão absurda de incluir na lista, por exemplo, os iraquianos, que são os maiores aliados dos americanos na luta contra o ISIS (Grupo Estado Islâmico ou Daesh). Minha dúvida hoje diz respeito a, se Trump realmente quer bloquear cidadãos de países com histórico de terrorismo e ele cita tanto o 11 de Setembro, por que a Arábia Saudita não foi incluída?

. Quinze dos 19 terroristas do 11 de Setembro eram sauditas

. A Arábia Saudita é o país com o regime mais radical extremista islâmico do planeta

. É a nação onde as mulheres têm menos direitos

. É a nação onde as minorias religiosas, incluindo cristãos, possuem menos direitos

. É a nação que difunde a ideologia wahabbita dos islamismo, utilizada por grupos terroristas como o ISIS, Al Qaeda, Boko Haram, Al Shabab e Taleban

Por favor, caso alguém saiba a resposta, escreva aqui. Mas é surreal como mesmo Trump, com um discurso populista em relação ao terrorismo jihadista, não bate de frente com a Arábia Saudita. Por que este regime saudita ultra-extremista, medieval e repugnante tem tanto poder? Em tempo, o regime saudita não condenou a lei de Trump, pouco se importando com os muçulmanos dos sete países citados e com os refugiados de todo o mundo. E Trump conversou com lideranças do país depois de implementar a lei

Obs. Barack Obama, George W. Bush, Bill Clinton, George Bush (pai), Ronald Reagan… Nenhum fez nada contra a Arábia Saudita

Guga Chacra, blogueiro de política internacional do Estadão e comentarista do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários na minha página no Facebook. Peço que evitem comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores. Também evitem ataques entre leitores ou contra o blogueiro.  Não postem vídeos ou textos de terceiros. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a minha opinião e não tenho condições de monitorar todos os comentários
Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor) e no Instagram