As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Qual a estratégia de Abbas, presidente palestino?

gustavochacra

19 Novembro 2014 | 17h46

A estratégia de Mahmoud Abbas nos próximos meses e mesmo anos é apostar no isolamento de Israel e no reconhecimento do Estado palestino por um número cada vez maior de países. E ontem o presidente palestino teve uma vitória. Não no atentado terrorista contra uma sinagoga que matou cinco pessoas que rezavam pacificamente. Mas no reconhecimento da Palestina, ainda que simbólico, por parte do Parlamento da Espanha.

Além dos espanhóis, britânicos e irlandeses já reconheceram a Palestina como Estado na Europa Ocidental. A Suécia foi mais longe e reconhece oficialmente o Estado palestino. Outros países de peso internacional, como quase todos da América Latina, também já fizeram o reconhecimento, que também já ocorreu nas Nações Unidas, onde a Palestina passou a ser um Estado não membro.

A grande aposta de Abbas é que, em futuras eleições israelenses, chegue ao poder Naftali Bennett, um político à direita (no sentido israelense da palavra) de Benjamin Netanyahu. Se isso ocorrer, Israel terá um primeiro-ministro que não reconhece o direito de a Palestina existir, batendo de frente até com os EUA, defensores de uma solução de dois Estados. A relação de Washington com Israel, que se deteriorou profundamente nos anos Obama-Netanyahu, tende a entrar em colapso total. E Abbas se sentirá vencedor pois atingirá seu objetivo de isolar Israel.

A solução para Israel está em um governo que junte Netanyahu a centristas como Tzipi Livni e Yair Lapid, além da esquerda com Isaac Herzog, e mesmo os partidos árabe-israelenses. Figuras como Bennett simplesmente destroem a imagem de Israel no exterior.

Não sei como faz para publicar comentários. Portanto pediria que comentem no meu Facebook (Guga Chacra)  e no Twitter (@gugachacra), aberto para seguidores

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus. Escrevam para mim no gugacha

Mais conteúdo sobre:

Guga Chacra