As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quem financia o ISIS no Iraque e na Síria?

gustavochacra

31 de agosto de 2014 | 10h34

Muito se discute sobre quem estaria por trás do grupo ISIS, também conhecido como Estado Islâmico. Mas, na verdade, esta organização atualmente consegue ser auto-suficiente. Não precisa mais de apoio financeiro externo, como ocorria no começo (no caso, vinha de indivíduos de países do Golfo Pérsico)

Basicamente, o ISIS (Estado Islâmico) detém um enorme território. É, portanto, mais similar ao Taleban do que à Al Qaeda. A rede de Bin Laden era hóspede de um Estado (Afeganistão controlado pelo Taleban), enquanto o ISIS é o próprio Estado nas áreas sob seu controle no Iraque e na Síria.

Abaixo, listei as quatro formas principais de financiamento do grupo

1. Extorsão – o ISIS cobra impostos nas áreas que domina e, em muitos casos, exige dinheiro extra para não matar alguém ou não fechar uma loja, por exemplo

2. Roubo – Ao dominar cidades, o ISIS passa a controlar também os bancos locais. Em Mosul, segunda cidade do Iraque, adquiriram dezenas de milhões nos cofres nos bancos da cidade

3. Contrabando – O ISIS detém alguns poços de petróleo no Iraque e na Síria. Por intermediários, consegue vender para outras regiões do planeta

4. Sequestro – O ISIS também sequestra cidadãos de outros países, inclusive do Ocidente, e cobra enormes quantias pelo resgate

Não sei como faz para publicar comentários. Portanto pediria que comentem no meu Facebook (Guga Chacra)  e no Twitter (@gugachacra), aberto para seguidores

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus. Escrevam para mim no gugacha

Tudo o que sabemos sobre:

Guga Chacra

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: