As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quem será o futuro presidente do Uruguai?

gustavochacra

28 de novembro de 2014 | 14h11

O substituto de José Mujica na Presidência do Uruguai deve ser o candidato de seu partido, a Frente Ampla (centro-esquerda), Tabaré Vazquez, que ocupou a Presidência entre 2005 e 2010. No primeiro turno, por pouco ele  não obteve a maioria dos votos contra Luis Lacalle, do Partido Nacional (centro-direita), de apenas 41 anos e filho de um ex-presidente.

Com a vitória de Vazquez, não deve haver muitas mudanças na administração uruguaia. Quando esteve no poder até 2010, ele pegou o boom dos commodities e entregou uma economia saudável para José Mujica. Agora, se eleito, deve receber um PIB crescendo acima da média do continente (4,4% em 2013), mas uma inflação que assusta, em 8,1%. Lacalle implementaria uma política econômica mais ortodoxa, justamente com o objetivo de conter a onda inflacionária.

O Uruguai, por seu tamanho, características e história, possui um cenário político econômico distinto dos vizinhos. O país é extremamente avançado em questões sociais, quase não tem analfabetismo, tem uma violência incomparavelmente inferior aos vizinhos e bem menos desigualdade. Inovou na questão das drogas e também dos direitos dos gays.

Mujica marcou época pelo seu carisma e estilo. Alguns uruguaios podem discordar de suas políticas, mas ninguém questiona a sua seriedade – doava 90% de seu salário (US$ 12 mil), dirige um fusca antigo e mora em um rancho e não no palácio presidencial. De fora, alguns podem dizer que é populismo. Mas os uruguaios, incluindo seus opositores, sabem ser autenticidade. Foi, de fato, um líder guerrilheiro e passou anos na prisão.

Vazquez, por sua vez, nasceu em uma família de classe média baixa. Com 18 anos, em vez de ir para a universidade, trabalhou como garçom, carpinteiro e entregador de jornal. Posteriormente, estudou medicina e se tornou um renomado oncologista em Montevidéu. Enquanto estava na Presidência, continuou atendendo pacientes em seu consultório.

Não sei como faz para publicar comentários. Portanto pediria que comentem no meu Facebook (Guga Chacra)  e no Twitter (@gugachacra), aberto para seguidores

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus. 

Mais conteúdo sobre:

Guga Chacra