Celulares vão superar a população do planeta até 2014

Jamil Chade

10 de dezembro de 2012 | 10h09

O número de celulares em uso no mundo vai superar a população da Terra até 2014. As estimativas estão sendo apresentadas hoje pela União Internacional de Telecomunicações que revela uma explosão dos meios de comunicação nos últimos anos. O levantamento aponta que a China foi o primeiro país a somar 1 bilhão de assinaturas de serviços de celular. O mercado chinês também já é o maior em termos de números de smartphones vendidos.

Os dados escancaram o sucesso dos novos meios de comunicação, superando em todos os continentes o número de telefones fixos. Na África, a taxa de penetração dos celulares é de 50% da população. Enquanto isso, apenas 1% da população tem telefones fixos.

Em mais de 100 países a taxa de penetração dos celulares já está acima de 100% da população. Um deles é o Brasil, com uma taxa de penetração de 120%. Na prática, isso significa que 240 milhões de celulares estariam em uso no País.

Na Rússia, a taxa é de 180%. Em sete países, a taxa de penetração já supera a marca de 200%. 6 bilhões de celulares já estariam em operação no mundo, 50% deles na Ásia.

Os números relativos à Internet também impressionam. 2,3 bilhões de pessoas tem acesso hoje à rede mundial de computador, um aumento de 100% em relação a 2007. Um quarto dos usuários da Internet está hoje na China.

Mas a própria agência alerta que 75% da população dos países em desenvolvimento não tem ainda Internet. 2 bilhões de jovens ainda não estão conectados à rede e apenas um terço das residências tem acesso à Internet. Nos países emergentes, 75% das famílias tem televisão. Mas apenas 20% tem Internet.

Segundo a UIT, os custos de comunicação caíram em 30% entre 2008 e 2011. Mas isso ainda não seria suficiente para democratizar o uso da tecnologia.

Enquanto uma parcela inteira do mundo ainda espera pela Internet, as operadoras faturaram US$ 1,5 trilhão em 2010, 2,4% do PIB mundial. 12% do comércio mundial já é dominado por produtos de telecomunicações, setor que investiu US$ 241 bilhões apenas em 2010.