CERN e Nasa anunciam indícios do que poderia ser materia escura no Universo

Jamil Chade

03 de abril de 2013 | 12h24

Depois de 18 anos de pesquisas e quase US$ 2 bilhoes em investimentos, pesquisadores estao à beira de revelar o que de fato consiste a matéria escura que, no fundo, da a estrutura do universo.

Em um evento no Cern, em Genebra, cientistas revelaram nesta quarta-feira o que chamam de um “um novo fenomeno físico” detectado a partir de um instrumento colocado na Estaçao Espacial Internacional, o AMS. O instrumento teria registrado uma abundância nao explicada de partículas de alta energia. Cientistas acreditam que isso poderia ser um indício da matéria escura.

Apesar da descoberta, os pesquisadores insistem que ainda nao podem dizer com 100% de certeza de que essa seja a resposta para a busca de décadas no mundo pela matéria escura.

Para ter uma resposta definitiva, os cientistas ainda pedem mais alguns meses. “Nos próximos meses, AMS nos dirá de forma conclusiva se os sinais que estamos recebendo é da matéria escura ou se é algo de outra origem”, afirmou Samuel Ting, líder da pesquisa.

“Precisamos de mais tempo. Levamos quase 18 anos para chegar ao que atingimos hoje”, declarou  Ting. “Esse é o primeiro experimento a chegar a esse resultado com tal precisao. Mas vamos com calma. Queremos resultados exatos”, disse, lembrando que o detector vai permanecer na Estaçao Espacial por mais 20 anos.

Ainda assim, os resultados nao deixaram de criar entusiasmo entre os físicos. Pauline Gagnon, uma das principais cientistas do Cern, insistiu os novos dados apontam que o AMS poderia “em breve” apresentar provas da matéria escura. “Seria o mesmo que descobrir um novo continente. Abriria as portas para um novo mundo”, disse.

Nao por acaso, o detector na Estaçao Espacial é apenas parte da corrida mundial pela identificaçao da matéria. Outro esforço está ocorrendo no subsolo, no acelerador de partículas entre a Suíça e a França e que já custou US$ 10,5 bilhoes e envolveu 10 mil pesquisadores. Nesse caso, a tentativa é de que a aceleraçao de partículas gere uma energia equivalente à explosao do Big Bang para que as propriedades da matéria escura sejam reconstituídas.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.