COM APROVAÇÃO DA LEI DA COPA, FIFA LANÇARÁ LOGO DO MUNDIAL

Jamil Chade

10 Maio 2012 | 07h41

A Fifa cede e aceita os termos da lei geral da Copa em relação à proteção ao logotipo do Copa, uma verdadeira mina de ouro para a entidade. Com o fim do impasse, o símbolo que será explorado comercialmente nos próximos dois anos pelas empresas parceiras da Fifa será lançado até junho. O evento marcará o início da promoção oficial do Mundial no Brasil.

Para convencer empresas a pagar verdadeiras fortunas para usar o logotipo da Copa do Mundo, a Fifa da garantias de que companhias que não tem esse direito serão punidas e que apenas os parceiros da entidade poderão explorar a marca e mesmo o nome “Copa do Mundo de 2014”.

O problema é que o grupo técnico da entidade estimava que a lei geral da Copa e a legislação brasileira eram brandas demais em relação aos autores de abusos de marcas. A Fifa temia que, no final, compensaria a uma empresa usar de forma ilegal o logotipo da Copa, mesmo que tivesse de pagar multas nos tribunais brasileiros.

Luis Fernandes, secretário-executivo do Ministério dos Esportes e novo homem forte o governo dentro do Comitê Organizador Local, indicou que a Fifa abandonou sua queixa em relação ao assunto e que não tocou no assunto nos encontros desta semana com o ministro dos Esportes, Aldo Rebeo. Segundo ele, o governo ainda se compromete a ajudar a Fifa a evitar pirataria e uso indevido do logo.

Mais que um simples símbolo reconhecivel da Copa, o logotipo é uma verdadeira mina de ouro para a Fifa. Já em 2011, a entidade fechou contratos de mais de US$ 900 milhões com parceiros que atuarão no Brasil, um volume de dinheiro recorde e duas vezes superior ao que obteve na Alemanha em 2006 no primeiro ano de vendas.

Na entidade e no próprio governo brasileiro, a estimativa de que até 2014 a Fifa arrecadaria US$ 3,8 bilhões com o Mundial já começa ser vista como um valor “conservador”.