Crise na Síria “transborda” para Líbano

Jamil Chade

23 de outubro de 2012 | 06h22

A ONU confirma que a guerra na Síria está transbordando para o Líbano e alerta que mais de 100 mil sírios estão esperando para ser registrados como refugiados nas cidades libanesas.

Melissa Fleming, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, indicou na manhã de hoje em Genebra que a entidade foi obrigada a suspender o registro e atendimento a refugiados, por conta da violência que eclodiu nas cidades libanesas nos últimos dias e as ameaças relativas a determinados grupos.

O registro em cidades como Trípoli, Akar, Beirute e Saida foi interrompido e a ONU não sabe dizer quando voltará a atuar.

No total, mais de 358 mil sírios já deixaram o país por conta da crise que já dura mais de um ano e meio. A estimativa da ONU é de que esse número poderá dobrar até o início de 2013.

A ONU também fez hoje um apelo para que governos europeus abram suas fronteiras para refugiados sírios, já que países como Líbano, Turquia e Jordânia já enfrentam situações críticas para atender a população que tenta escapar da guerra. Até agosto, 16 mil sírios haviam solicitado a entrada nos países europeus.

 

 

Jamil Chade é correspodente do jornal O Estado de São Paulo na Europa desde 2000. Foi premiado como o melhor correspondente brasileiro no exterior em 2011, pela entidade Comunique-se. Com passagem por 67 países e mestre em Relações Internacionais pela Universidade de Genebra, Chade foi presidente da Associação de Correspondentes Estrangeiros na Suíça entre 2003 e 2005 e tem dois livros publicados. « O Mundo Não é Plano » (2010) foi finalista do Prêmio Jabuti, categoria reportagem. Na Suíça, o livro venceu o prêmio Nicolas Bouvier. Em 2011, publicou “Rousseff”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.