EUA e UE votam por México na OMC, mas não irão bloquear Brasil

Jamil Chade

07 de maio de 2013 | 07h36

Diplomatas dos EUA e da Europa apresentaram na manhã e hoje seu voto na Organização Mundial do Comércio na seleção do diretor-geral da entidade. Washington como Bruxelas votarão pelo mexicano Hermínio Blanco. Mas admitem que, se o brasileiro Roberto Azevedo sair como vencedor, não irão se opôr.

A decisão é importante, já que evitaria um impasse. O Brasil afirma ter o maior número de voto entre os países emergentes. Já o México garante que tem o apoio quase integral dos países ricos.

Pelas regras da OMC, não basta apenas um candidato sair com o maior número de votos. O escolhido terá de ter apoio tanto de países ricos como emergentes. Na tarde de hoje, a OMC conhecerá seu novo diretor, depois de quatro meses de um processo que envolveu nove candidatos.

Michael Punk, embaixador ds EUA, foi o último a votar.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: