Fifa deu contratos para filhos de cartolas na Copa

Jamil Chade

24 de setembro de 2014 | 06h52

Filha de Thierry Weil, diretor de Marketing da Fifa, foi contratada como fotógrafa da entidade na Copa. O mesmo já havia sido feito por Valcke e Teixeira. 

 

ZURIQUE – Filhos dos cartolas mais poderosos da Fifa encontraram postos de trabalho na Copa de 2014. O Estado apurou com exclusividade que Thierry Weil, diretor de Marketing da entidade, não foi o único da família a atuar no Mundial. Sua filha, Lea Weil, foi contratada para tirar fotos da Copa. O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, também foi outro que não esteve sozinho na Copa. Seu filho, Sebastien, foi colocado como vice-coordenador para os jogos no Maracanã. Já Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, havia colocado sua filha, Joana Havelange, como uma das diretoras do Comitê Organizador Local (COL).

Weil era a pessoa encarregada, entre outras coisas, pelos ingressos da Copa e um dos diretores de maior poder na Copa. Entre suas funções estava a de alertar para a existência de cambistas e de ingressos falsos.

Segundo a Fifa, a jovem Lea foi contratada em um “processo seletivo”. “A filha de Thierry Weil foi contratada durante a Copa do Mundo para tirar fotos”, admitiu a entidade em um email enviado à reportagem. “Houve um processo seletivo formal conduzido para contratar um fotógrafo adicional para eventos e Lea Weil era uma das candidatas”, disse a Fifa.

“Como tal, ela passou pelo processo de seleção da Fifa de acordo com nossas orientações de cumprimento e então foi selecionada”, explicou a Fifa.

Weil é um dos principais aliados de Valcke na Copa que, por sua vez, viu seu filho Sebastien Valcke ser escolhido como vice-coordenador-geral para todos os jogos da Copa do Mundo no Maracanã, o local do encerramento do Mundial.

Em um primeiro momento, a assessoria de imprensa da Fifa não respondeu à reportagem do Estado quando foi questionada sobre qual seriam as atribuições de Sebastien Valcke no estádio, nem quem o contratou. Depois da publicação da informação, Valcke atacou e alegou que a matéria tratava da “vida privada” e era uma atitude “sem ética”.

Pacote – As famílias de cada um dos onze diretores da Fifa também foram beneficiadas na Copa. A entidade decidiu pagar pela passagem e hospedagem de filhos e esposas de cada um deles.

Antes da Copa, Joana Havelange criou uma polêmica ao ter uma de suas mensagens numa rede social compartilhada pela Internet. Nela, a filha de Ricardo Teixeira criticava as manifestações e apontava que “o que tinha de ser roubado, já foi”.