Fifa retira seus símbolos de hotel no Rio

Fifa retira seus símbolos de hotel no Rio

Jamil Chade

23 de junho de 2013 | 16h31

RIO – Roger se apaixonaria loucamente pela milionária brasileira Belinha de Rezende e faria de tudo para evitar seu casamento no Rio de Janeiro. Com sua banda, viajaria à cidade carioca para evitar o trágico destino para seu romance. Junto com ele, Fred e Mel ainda fariam parte da ofensiva para frear esse casamento, desastroso para Roger e seus sonhos.

 

A história poderia parecer intrigante e sedutora. Mas não passa de uma fantasia…

 

Trata-se do filme “Voando para o Rio”. Em 1933, um estúdio americano usaria a praia, o Rio e o hotel Copacabana Palace para uma comédia que ganharia fama mundial.

 

Rodada com um avião de brinquedo, o filme entrou para a história como o primeiro a ver a parceira na pista de dança de Fred Astaire e de Ginger Rogers, algo que marcaria a história do cinema.

 

70 anos depois, o plano era que outra comédia teria o célebre hotel como cenário: a da família Fifa e suas aventuras no Brasil. O problema é que os planos estão tendo de ser modificados.

 

Pelo segundo dia consecutivo, vejo funcionários do hotel retirando de sua entrada suntuosa qualquer referência à Fifa ou à Copa. A festa da entidade no Brasil não passou de uma fantasia…