Financial Times diz que Mantega e BC estão virando “profissionais” do uso do “jeitinho” nas contas do governo

Jamil Chade

16 de janeiro de 2013 | 07h13

Um dos jornais que serve de referência para o mundo das finanças, o FT, ironizou hoje em um artigo o “jeitinho brasileiro” aplicado aos temas monetários e chega a apontar que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o Banco Central estariam se transformando em “profissionais” nisso.

O FT chega a explicar ao público estrangeiro o que significa o termo “jeitinho”. Trata-se, segundo eles, do hábito de desviar das regras ou convençoes por táticas altamente criativas e beirando a ilegalidade.

Segundo o jornal, tanto Mantega quanto o BC mantem sua ação dentro da legalidade. No caso do Banco Central, o jeitinho é usado na manutenção da taxa de juros e a diferença entre o que a instituição de fato anuncia e as taxas de fato cobradas. Isso porque Alexandre Tombini estaria permitindo que as taxas interbancárias cobradas durante a noite sejam reduzidas, dando um estímulo â economia, sem anunciar de fato mais uma redução nos juros desde 2011.

Mantega tambem estaria usando o jeitinho para combater a inflação. Citando a Radio Estadao, o FT aponta que o prefeito de Sao Paulo, Fernando Haddad, confessou que Mantega o pediu para nao elevar as tarifas de transporte, para segurar a inflaçao. Segundo o jornal, Mantega já um “especialista no jeitinho”, diante de sua administraçao do crescimento e da própria moeda.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.