Havelange quer Blatter em sua festa

Jamil Chade

20 de junho de 2013 | 10h08

RIO DE JANEIRO – João Havelange teve de renunciar de todos seus cargos internacionais no mundo dos esportes por conta de um escândalo de pagamento de propinas e pela revelações de que fraudou a Fifa. Mas, nesta semana, ele ainda foi recebido com honras pela direção da entidade e demonstrou que ainda tem uma relação íntima com a cúpula da organização.

A este blog, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, confirmou na noite de quarta-feira que jantou com Havelange durante a semana e revelou que o brasileiro o convidou para estar em seu aniversário de 100 anos, marcado para 2016. “Ele me convidou para sua festa. Será uma grande festa para marcar seu centésimo aniversário em três anos”, disse Blatter, logo antes de embarcar e deixar o Brasil.

O cartola suíço não deixou de elogiar o brasileiro. “Ele está muito bem de cabeça. Muito forte mesmo”, disse Blatter.

No ano passado, a Justiça suíça revelou documentos que apontaram que Havelange fraudou a Fifa, recebendo milhões de dólares em propinas de empresas em busca de contratos. Ele, ao lado de Ricardo Teixeira, teria montado o maior esquema de corrupção da história das instituições esportivas mundiais.

O convite, o elogio e a festa não deixam dúvidas: Havelange ainda goza de uma relação especial com Blatter, homem que foi seu braço direito por mais de uma década.

Blatter prometeu que iria reformar a Fifa e acabar com a corrupção. Mas algumas perguntas ainda não foram respondidas:

Como é que o presidente da entidade que foi fraudada por Havelange aceita um convite para jantar pelo seu próprio criminoso?

Como é que Blatter se dispõe a declarar abertamente a um jornalista sua admiração pelo brasileiro?

E como é que esse brasileiro convida a pessoa que teria teoricamente expulsado da Fifa para seu aniversário?