Liga dos Campeões movimenta 6 bi de euros

Jamil Chade

19 de dezembro de 2009 | 17h24

NYON, Suíça– Enquanto a economia européia patina e dá sinais de que uma recuperação será lenta, uma competição mostra que continua dando lucros. Um estudo publicado nesta semana mostrou que a Liga dos Campeões movimenta 6 bilhões de euros nesta temporada para a economia européia, valor superior ao que a África do Sul espera ter como lucros com a Copa do Mundo de 2010.

Na sexta-feira, o sorteio para as próximas fases da Liga dos Campeões realizada pela Uefa colocou na agenda do futebol verdadeiros duelos de gigantes em suas oitavas de finais, para a alegria de torcedores e principalmente dos patrocinadores. O maior torneio de clubes do mundo, por exemplo, verá o confronto entre o Milan e o Manchester United.

Em Nyon, a Uefa fez o sorteio das próximas confrontações, em um ambiente cercado de expectativas. Claro. Seria a partir dos confrontos que cada equipe mediria quanto ganharia até meados de 2010. Com o resultado, o inglês David Beckham que atua pelo Milan voltará ao clube que o revelou ao mundo, o Manchester United. Pato, Ronaldinho e o técnico Leonardo sabem que o confronto pode já tirar o time italiano da competição de forma prematura.

Em um outro duelo ítalo-britânico, é um português que promete ser alvo de todas as atenções. O técnico da Inter, José Mourinho, enfrentará seu ex-clube Chelsea por um lugar nas quartas de final. O atual campeão, o Barcelona, enfrentará o Stuttgart e espera continuar no caminho de mais uma conquista. Já o Real Madrid, de Kaká, enfrenta o Lyon. A partida marca o retorno do francês Karim Benzema a seu ex-clube. O objetivo do Real é conquistar seu décimo título, principalmente depois dos pesados investimentos que fez.

Mas estudos feitos por patrocinadores da competição mostram que os lucros da Liga dos Campeões sâo garantidos. Em média, cada clube sai do torneio com 50 milhões de euros a mais em caixa. Em 2008, o Barcelona saiu com o troféu e 110 milhões de euros na conta. O próprio Lyon admite que parte de seu interesse na competição é garantir lucros e um maior preço para vender seus jogadores.

As partidas de ida ocorrem a partir de meados de fevereiro. O jogo de volta está marcado para março.

Enquanto os técnicos se preparam para os próximos jogos, os patrocinadores continuam fazendo seus cálculos sobre os ganhos. O estudo publicado nesta semana e encomendado pela Mastercard, uma das patrocinadoras, concluiu que, pelo menos para a Liga dos Campeões, a crise não existe.

Certamente, isso não significa que todos os clubes na competição estejam em dia com suas contas. Muito pelo contrário. Juntos, o Real Madrid, Barcelona e Manchester United tem dívidas somadas de 1 bilhão de euros.  Enquanto competições como a Liga dos Campeões existir, os grandes continuarão a financiar seus déficits. Já os pequenos…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.