No mercado negro, ingresso para final da Copa chega a custar R$ 90 mil

Jamil Chade

30 de abril de 2014 | 08h08

GENEBRA – Com o fim dos ingressos oficiais para grande parte dos jogos da Copa do Mundo, explode o preço das entradas no mercado negro ao ponto de um assento para ver a final superar a marca de US$ 40 mil, cerca de R$ 90 mil em sites no exterior e mais de 120 salários mínimos.

A Fifa vem alertando que a venda dessas ingressos está proibida, ainda mais quando esses sites oferecem as entradas e ainda cobram uma comissão pelos “serviços prestados”.

Até o início da semana, a Fifa vendeu 2,7 milhões de entradas para os 64 jogos da Copa. Dois terços acabaram nas mãos dos brasileiros. Outros 200 mil ainda estarão sendo vendidos e o total deve superar a marca de 3 milhões de entradas.

A Fifa ainda comemora o fato de que a sua venda online bateu todos os recordes, superando em 400 mil os números registrados na Alemanha em 2006.

Diante da procura sem precedentes, o que se registra é uma proliferação de sites pelo mundo com ofertas de ingressos para todos os jogos e em todas as categorias. Segundo a empresa

SeatGeek, especializada em ingressos para eventos esportivos, os preços médios dos ingressos para a final no Brasil estão duas vezes superior ao que existe no mercado negro para a final do Super Bowl nos EUA.

No site da Viagogo, com sede em Genebra, os preços são detalhados e a empresa insiste que a venda é legítima.

Para o jogo de abertura entre Brasil e Croácia, o preço chega a quase R$ 27 mil, quase 40 salários mínimos. Entradas a R$ 20 mil estão sendo vendidas para lugares na Categoria 1 no estádio que acolherá a semifinal em Belo Horizonte. Se o Brasil chegar à essa fase, disputará um lugar na grande final justamente na capital mineira.

Para a grande final no Maracanã, o preço mínimo oferecido pela Viagogo é de US$ 5,7 mil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.