O LEGADO DE TEIXEIRA

Jamil Chade

09 Maio 2012 | 12h07

ZURIQUE – Em 2007, no lobby do arrogante Hotel Baur au Lac de Zurique, o então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, chamou-me em uma mesa e apresentou os livros que explicavam à Fifa o que seria a Copa do Mundo no Brasil, distantes sete anos mais tarde.

Sim, naquele tempo Teixeira ainda falava comigo, ainda que para me chamar usasse um forma bem perculiar: “Ô Estadão!”. Foi o tempo também em que contava com Romário ao seu lado e o levou naquele dia à Fifa para dar apoio ao projeto. Hoje, o deputado Romário tem uma outra posição.

Lembro-me bem das palavras do ex-cartola de insistir em dar garantias de que a grande vantagem do projeto era de que ele seria inteiramente financiado pelo setor privado e que a Copa seria, acima de tudo, um empreendimento sem gastos do estado.

Três anos depois, o primeiro tropeço: o governo teria de entrar com recursos para permitir que os estádios ficassem prontos. “Deus Salve o BNDES”, deveria ser o logo da Copa. Lula foi além da abertura das torneiras e fez parte das negociações para que o Itaquerão se transformasse em realidade.

Nesta semana, o prego no caixão do projeto de uma “Copa Privada” acabou de vez. Não apenas o dinheiro já vem do estado, como agora o governo assume a condução da preparação. Essa é a segunda vez que a Fifa recorre ao governo. A primeira foi na África do Sul, aquela outra Copa que todos temiam que não ficaria pronta, lembram….

Ontem, a Fifa decidiu que o Comitê Organizador Local passaria a ter a presença de um membro do governo, o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, que destoa da cartolagem que passou anos em reuniões na Fifa e CBF.

Formado na Georgetown University, ex-vice-ministro de Ciência e Tecnologia, professor da PUC-Rio e acadêmico reconhecido na Europa, Fernandes recebe o “legado” de Teixeira com apenas uma função: transformar o caos que vive a preparação para o maior torneio esportivo do Mundo em um evento de promoção de uma nova imagem de sofisticação do País no exterior. Terá 25 meses para isso. Vai precisar de ajuda…e sorte.