O ULTIMO GOL DE PLATINI NA SELEÇÃO FRANCESA FOI CONTRA O BRASIL

Jamil Chade

24 Maio 2012 | 09h47

Platini é hoje um cartola de poder. Manda na confederação mais rica do mundo, a Uefa. Mas dificilmente perde seu sentido de humor com jornalistas. Em uma conversa com esse blog em Budapeste, o francês relembrou o México, no ano de 1986. Nas quartas de  finais da Copa do Mundo, ele liderou a França contra o Brasil de Zico e Careca. Marcou o gol de empate, perdeu um penalti. Mas foi quem ao final comemorou.

Platini não esconde. “Foi o jogo da minha vida no que se refere à seleção”, disse. “Depois desse jogo, decidi que não valeria mais a pena marcar gols pela seleção”, brincou. “Decidi que, mesmo que estivesse na cara do gol, passaria a bola. Marcar seu último gol contra o Brasil é especial”, insistia.

Na verdade, não era uma brincadeira. Platini nunca mais marcou um gol pela seleção. Foram 41 no total.

Ele também se lembra muito bem da comemoração dos franceses após o jogo, em 1986, ainda no vestiário. “Tigana batucava numa mesa e todos batiam palmas, cantando aquela música famosa do Brasil (Aquarela do Brasil)”, conta. Platini era um dos mais animados, cantando e dançando já sem uniforme da seleção.

Hoje, o cartola Platini não tem mais o mesmo físico de jogador. Mas continua ironizando sempre que pode os confrontos entre Brasil e França.

Só não conta que jamais foi campeão do Mundo e que a França teve de esperar até o surgimento de Zidane para finalmente vencer a Copa. Pena que foi contra o Brasil, de novo.

 

Leia o que foi publicado na época pelo jornal O Estado de S. Paulo:

http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19860622-34144-nac-0001-999-1-not/busca/Brasil+Platini