OIT: Brasil tem maior número de empregadas domésticas no mundo

Jamil Chade

09 de janeiro de 2013 | 07h52

O Brasil tem o maior número de empregadas domésticas registradas do mundo. Dados divulgados hoje pela Organização Internacional do Trabalho apontam que existiriam 7,2 milhões de empregadas domésticas no Brasil, um a cada oito no mundo oficialmente registrado pelos ministérios do Trabalho de 117 países.

Segundo a OIT, existiriam pelo menos 52,6 milhões de pessoas trabalhando como domésticas. 83% delas são mulheres. Em termos regionais, a Ásia é a líder no número de domésticas, com 41% das trabalhadoras do mundo. Na América Latina, elas representam 37% do total mundial.

Sandra Polaski, vice-diretora geral da OIT, admite que o número real poderia bem maior no mundo, já que muitas delas são “invisíveis” e não estão registradas. Um dos grandes obstáculos é a situação na África, onde milhões poderiam estar trabalhando no setor e sem qualquer conhecimento das autoridades e sequer são consideradas como trabalhadoras.

Mas o que mais preocupa a OIT é o fato de que apenas 10% delas no mundo tem os mesmos direitos dos demais trabalhadores do país. “Mais da metade das trabalhadoras não tem limitação nas horas de trabalho e 45% delas não tem direito a folga na semana”, alertou Sandra.

Segundo o levantamento, domésticas no Brasil trabalham em média 36 horas por semana, um padrão mais próximo da Europa que de países como Arábia Saudita, Catar e Malásia, com mais de 60 horas de trabalho por semana.

Em 2011, as domésticas no Brasil tinham uma renda de apenas 41% dos salários médios. Apesae de terem ganhado um aumento de salários de 55% entre 2003 e 2011, menos de 30% delas tem carteira assinada.

Além do Brasil, outro país com um número substancial é a Índia, com 4,2 milhões de trabalhadoras domésticas oficialmente registradas, além de 2,4 milhões na Indonésia e 1,8 milhão no México. Oficialmente, nos Estados Unidos existem 667 mil empregadas domésticas, contra 419 mil na Itália e 747 mil na Espanha.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.