“Que coisa essa história do lituânio”

Jamil Chade

14 de abril de 2014 | 21h12

Há poucas horas, desembarquei em uma capital europeia e peguei um taxi. O motorista, ao saber que eu era brasileiro, logo emendou uma conversa. Mas fui surpreendido quando ele me disse:

– Que coisa essa história do lituânio!

Por alguns instantes, eu fiquei preocupado. Eu estava num avião e de fato não sabia o que tinha acontecido no mundo nas últimas três horas. Enquanto ele falava e eu pensava em uma resposta, verifiquei o site da BBC para saber se havia algo de novo sobre a crise na Ucrânia e se Moscou havia tomado também a decisão de invadir a Lituânia.Nada.

Olhei o site do Estadão e da Folha e também nenhuma linha sobre a Lituânia.

Tive de confessar ao taxista que eu não sabia de nada do “lituânio”.

– Mas o senhor é ou não é brasileiro?

Hesitando, respondi que sim, ainda tentando entender o motivo da ligação entre nós e o país na fronteira com a Rússia.

Minha preocupação acabou finalmente quando o motorista, com um sorriso irônico no rosto, me disse:

– Ah, então já sei. O senhor é torcedor do Santos…

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.