International Orientation!!

Estadão

31 de agosto de 2009 | 13h13

“Parabéns!! Você é um “aluno internacional” e entrou no MIT!”. Essa foi uma das frases que eu mais ouvi naquilo que muitos dos meus amigos também internacionais dizem ser uma das partes mais interessantes da vida do MIT, que é a International Orientation.
Aqui no MIT, como também na maioria (se não em todas) as universidades americanas, existe uma cota para estudantes estrangeiros que são undergraduates (ou seja, aqueles que querem um bacharelado), pois há uma regra do governo, o Department of Homeland Security, de que o número de estrangeiros deve ser 8% do total de admitidos. Por essa razão, a faculty do MIT considera que a concorrência entre os estrangeiros é muito maior, ou seja, é mais difícil entrar.
Mas, umas vez que isso acontece, prepare-se para conhecer gente do mundo inteiro, como por exemplo, Quirguistão, Irã, Egito, Zimbábue, Gana, Mongólia, Macedônia, China, Índia e muitos mais. Na orientação internacional, os alunos devem chegar ao campus uma semana antes do resto dos freshmen. Logo no primeiro dia, todos são apresentados a um dos conceitos mais básicos da cultura americana: “Se tem free food, vá” e não pergunte “para quê?” ou “onde?”, simplesmente vá. Com isso em mente, na orientação tivemos sempre almoços, lanches e cafés da manhã, o que é realmente bom, pois é nessas ocasiões que dá para conhecer gente nova. Além da parte divertida, como passar tempo com os novos amigos, fazer tours pelo MIT e por Boston, jogar futebol e comer bastante, tivemos a parte burocrática, como palestras sobre como manter o status legal nos Estados Unidos (coisa que não é nada simples) e sobre o seguro da saúde. Apesar de chatas, essas palestras nos ajudam bastante a entender como as coisas funcionam por aqui, e, acredite, é bem diferente.
Neste último fim de semana, a Orientation (para todos os novos alunos) começou. Agora temos, é claro, montes de coisas para fazer, alguns exemplos: provas para créditos, provas de análise de conhecimento, apresentação dos diversos escritórios do MIT (como o OME, Office of Minority Education), informações sobre os sistemas de computadores do MIT, apresentações engraçadas, discursos dos membros importantes da faculty e da nossa presidente, Susan Hockfield, cafés da manhã, brunches, churrascos e… sim, festas.
Classe dos Alunos Internacionais da turma de 2013

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.