A face da radicalização

Lourival Sant'Anna

26 de março de 2017 | 09h19

Adrian Russell, autor do atentado que deixou 4 mortos e 40 feridos em Londres na quarta-feira, começou jovem no crime comum. Só bem mais tarde, na prisão, converteu-se ao Islã, mudou seu nome para Khalid Masood e se radicalizou. Sua história, parecida com a de outros autores de atentados na França, Bélgica, Alemanha e EUA, mostra o quanto é contraproducente enfrentar o terrorismo barrando a entrada de imigrantes muçulmanos — e aumentando a percepção de hostilidade contra o Islã.

Clique aqui para ler minha coluna no Estadão

Tudo o que sabemos sobre:

Khalid MasoodatentadoLondres

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.