A morte do diálogo

Lourival Sant’Anna

09 Setembro 2018 | 16h09

Assim como as guerras, os atentados catalisam processos já em andamento. Suas consequências podem ser variadas. O ambiente em que eles ocorrem, no entanto, é sempre o mesmo: a polarização. Marcam o momento em que o argumento dá lugar à posição: a morte do diálogo. Que agora os dois protagonistas da eleição estejam, um na prisão e outro no hospital, diz muito sobre o momento do Brasil.

Clique aqui para ler minha coluna no Estadão