Arquitetura de um acordo

Lourival Sant’Anna

28 Agosto 2016 | 08h28

O acordo entre o governo colombiano e as Farc ensina o caminho da resolução de um conflito: a paz definitiva não se alcança em posição de fraqueza nem tampouco aniquilando o agressor, mas enfrentando-o com armas, sangue e determinação, elevando, para ele, o custo do conflito, e, em seguida, ouvindo suas condições, acatando o que for possível, mesmo que não seja plenamente justo, mas melhor do que a continuação da guerra. Plenitude não existe. A não ser nos cemitérios.

Clique aqui para ler minha coluna no Estadão