Brasil, fora do radar de Trump

Lourival Sant’Anna

20 Agosto 2017 | 12h18

Além de drenar as riquezas e baixar o moral, a corrupção exclui o Brasil da conversa com os outros países, diante da impossibilidade de planejar uma visita sem saber quem será o presidente. Isso ficou claro no giro do vice Mike Pence pela América do Sul, num momento crucial para a região. Os presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, da Argentina, Mauricio Macri, e do Chile, Michele Bachelet, puderam não só rechaçar a ideia de uma intervenção militar na Venezuela, mas também conhecer a visão do governo americano para a região, comércio, economia mundial, cooperação militar etc. Tudo isso é muito útil para um governante se situar e influir no mundo.

Clique aqui para ler minha coluna no Estadão