Maior desafio do terrorismo está em São Paulo, diz delegado da PF

Lourival Sant’Anna

11 Maio 2016 | 17h57

Presença de grande comunidade árabe-muçulmana e ambiente de anonimato em São Paulo representam uma ameaça bem maior do que a Tríplice Fronteira, onde todos se conhecem, explica delegado especialista em contraterrorismo, que não pode ser identificado.

Um evento como os Jogos Olímpicos traz investimentos e capacitação para as atividades contraterrorismo, mas traz também a ameaça, analisa o delegado. Ele afirma que a principal hipótese é a do “lobo solitário”, e se recusa a falar sobre a existência ou não de células adormecidas no Brasil. Mas informa que, desde a Copa do Mundo, pessoas têm sido monitoradas, não só pela PF, mas também pelas polícias estaduais.

Assista também:

Forças contraterrorismo fazem último treino antes dos Jogos Olímpicos

Exército conta com população para prevenir terrorismo, diz general

‘Brasil tem treinado muito’ para enfrentar terrorismo, diz adido de Defesa americano