De Olho No Mundo Edição de 2 de maio

De Olho No Mundo Edição de 2 de maio

Lúcia Guimarães

02 de maio de 2015 | 18h15

Ouça o De Olho No Mundo on line aqui ou ao vivo na Rádio Estadão,  sábado às 19h, domingo às 20 h, 92,9 FM com participação de Roxane Ré, Andrei Netto, Jamil Chade e Lúcia Guimarães.

Nepal terremoto

Abrimos o programa deste fim de semana com o drama do Nepal após o terremoto que já fez mais de 6 mil mortos. A ONU faz apelos para doações internacionais mas o cálculo de US$ 415 milhões se refere apenas à assistência imediata e não a esforços de reconstrução. Jamil Chade  lembra que a tragédia destaca também uma rivalidade geopolítica entre a Índia e a China, que se apressam a protagonizar esforços de socorro. O Nepal é um estado-tampão entre os dois países e rico em água, o recurso natural precioso para os dois vizinhos rivais. Lembramos que, cinco anos após o pior terremoto deste século,  com 316 mil mortos, o Haiti continua enfrentando problemas econômicos e políticos apesar do extraordinário esforço coordenado de ajuda internacional. Andrei Netto lembra que, na ocasião do terremoto haitiano, em 2010, o então presidente francês Nicholas Sarkozy falava em “erradicar” a  miséria  no país mais pobre do hemisfério ocidental.

China e Estados Unidos – como está a disputa pela liderança global?

A presidência de Barack Obama, como nenhuma outra, exigiu uma interação com uma China mais assertiva no cenário global. A criação do Banco de Desenvolvimento da China e a adesão de inúmeros aliados norte-americanos, para surpresa de Washington, está sendo descrita por alguns, como o momento em que  os Estados Unidos deixaram de subscrever o sistema financeiro internacional.  Jamil Chade argumenta que a China apenas formalizou, no Banco de Desenvolvimento, uma relação já em curso em países como os africanos, em que há um troca de investimentos por amplo acesso a recursos naturais. Andrei Netto comenta que o banco chinês representa uma quebra do monopólio norte-americano e europeu sobre os mecanismos de financiamento internacionais mas também aumenta o “soft power” chinês no mundo. Um novo livro do acadêmico que cunhou a expressão soft power considera a transição mais complexa.

The American Century Over? cover

Joseph Nye

Joseph Nye

Em Is The American Century Over? (“Acabou o Século Americano?”), Joseph Nye afirma que a resposta, com ressalvas, é “não.” Ele propõe a distinção entre o tamanho de uma economia – o PIB chinês está fadado a superar o americano – e o poder de influência. O quanto um país é fonte de inspiração para outros?  Entre os números que Nye usa para argumentar: 46% das 500 maiores corporações transnacionais são norte-americanas. Entre as 25 marcas globais mais fortes, 19 são dos Estados Unidos.

Pena de Morte

A execução do brasileiro Rodrigo Goularte coincide com um crescente debate sobre a pena de morte nos Estados Unidos. A ONU acusou o governo de Jakarta de incoerência na aplicação da pena de morte ao brasileiro, como informa Jamil Chade, que relata também a conversa que um capelão irlandês teve com Goulart antes da execução. Andrei Netto conta que um condenado francês foi poupado da execução depois de intensa pressão diplomática da França e questiona a ação diplomática do Brasil.

 

Screen Shot 2015-05-02 at 4.03.39 PM

Na última semana, a Suprema Corte norte-americana começou a examinar o uso do coquetel de drogas que compõem injeções letais em condenados à morte. Prisioneiros no corredor da morte de Oklahoma levaram o caso ao tribunal superior e argumentam que as drogas não “produzem estado inconsciente de coma” e infringem sofrimento desumano. O pano de fundo da discussão é a sobrevivência da pena de morte, diante da crescente recusa por laboratórios em fornecer as drogas. Atualmente, todos os 32 estados norte-americanos que aplicam a pena de morte usam injeção letal mas, diante da escassez das drogas, Utah aprovou a alternativa do fuzilamento.

Marilyn J. Mosby

Marilyn J. Mosby

Baltimore

Nosso programa foi gravado antes do anúncio que surpreendeu os Estados Unidos, no caso da morte de Freddie Gray, sob custódia da polícia de Baltimore. A promotora pública de Baltimore, Marilyn Mosby, indiciou seis policiais da cidade pela morte do jovem negro, de 25 anos, depois de uma detenção aparentemente rotineira e, segundo a promotora, injustificada.

Freddie Gray

,  Freddie Gray

Gray morreu no dia 19 de abril, de uma ruptura na espinha, uma semana depois  de ser transportado num camburão, sob protestos de que precisava de assistência médica. A morte provocou distúrbios violentos, o governador de Maryland decretou estado de emergência, convocou a Guarda Nacional, a prefeitura de Baltimore decretou toque de recolher e o caso inspirou manifestações em várias cidades americanas.

Bernie Sanders

Senador Bernard Sanders

Senador Bernard Sanders

A outra notícia política nos Estados Unidos foi a candidatura a presidente do único membro socialista-democrata do Congresso. O senador Bernard Sanders, natural do Brooklyn nova-iorquino, mas representante do estado de Vermont, lança uma campanha descrita por alguns como quixotesca, mas que destaca o papel do debate sobre a desigualdade na política norte-americana. Ele é o mais antigo membro independente – não democrata ou republicano – do Congresso, mas vai concorrer pelo Partido Democrata, desafiando a candidatura Hillary Clinton, criticada por ser apresentada ao eleitor como uma “coroação.” Sanders deve colocar na berlinda a questão do financiamento privado das campanhas políticas nos Estados Unidos.

Orson Welles

Orson Welles

O De Olho No Mundo se despede lembrando Orson Welles, cujo centenário é comemorado no dia 6 de maio. Depois do sucesso de Cidadão Kane, o jovem Orson Welles viajou ao Brasil para filmar em 1942, e perdeu o controle sobre o filme que poderia ter sido sua obra prima,  The Magnificent Ambersons.