Dzhokhar Tsarnaev culpado por atentado na Maratona de Boston

Dzhokhar Tsarnaev culpado por atentado na Maratona de Boston

Lúcia Guimarães

08 de abril de 2015 | 15h38

Dzhokhar Tsarnaev

Dzhokhar Tsarnaev

Uma semana antes do segundo aniversário do atentado à Maratona de Boston que matou 3 pessoas e feriu 264, Dzhokhar Tsarnaev, de 21 anos,  foi declarado culpado de todas as acusações por um júri de sete mulheres e cinco homens. Tsarnaev é natural da Chechênia e emigrou para os Estados Unidos aos 9 anos.

Ele enfrentou um indiciamento com 30 acusações – em 17 delas é aplicável a pena de morte –  e o mesmo júri terá que decidir se ele recebe a pena de morte ou prisão perpétua sem direito a liberdade condicional.

Os jurados ouviram 16 dias de testemunhos mas só deliberaram durante 11 horas antes de anunciar que tinham chegado a um veredito. Tsarnaev ouviu o veredito impassível.

Tsarnaev foi representado por um equipe liderada por uma das mais conhecidas advogadas criminais especializada em casos passíveis de pena de morte nos Estados Unidos,  Judy Clarke, responsável também pela defesa de Ted  Kaczynski, o Unabomber.

Tamerlan Tsarnaev

Tamerlan Tsarnaev

Um dos fatores cruciais da estratégia da defesa foi o papel do irmão mais velho de Dzhokhar, como mentor do atentado. Tamerlan foi morto em troca de tiros com a polícia na cidade de Watertown, no dia 19 de abril de 2013, quatro dias depois do atentado.

Na fase da deliberação sobre a sentença, reserva sobre a pena de morte expressada por qualquer membro do júri pode significar a opção por prisão perpétua. Observadores da Justiça criminal americana consideram que, diante do veredito, a luta da defesa para livrar Tsarnaev da pena de morte se torna especialmente difícil