Fusão nuclear

Lúcia Guimarães

07 de novembro de 2011 | 21h57

Quando a palavra fusão, pronunciada num clube de jazz, não é palavrão?

Falo do gênero que faz Wynton Marsalis pedir seus sais aromáticos.

Fusão ou outro termo ainda mais amaldiçoado, jazz rock,  não é palavrão quando dois monstros – Chick Corea e John McLaughlin – associados ao paleozoico da turbulência do jazz na década de 7o,  se encontram.

O pequeno palco do Blue Note parecia um campo aberto comparado ao aperto das cadeiras arranjadas entre as mesas, especialmente com lotação esgotada, como era inevitável nesta noite. O pianista Chick Corea comemora seus 70 anos com uma residência no clube Blue Note e, a cada semana, vai revivendo suas encarnações musicais em companhias diferentes. Uma escolha apropriada para quem é apelidado de Camaleão. O trecho capturado por celular mostra a última noite da Five Piece Band – Chick Corea, o guitarrista John Maclaughlin, o saxofonista Kenny Garrett, o contrabaixista John Patitucci e o sublime baterista Brian Blade. Duas gerações no palco, várias na plateia.

As reuniões seguintes  incluem um esperado dueto com o pianista Herbie Hancock. Aqui,  a lista do Blue Note para o novembro de Chick Corea.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Blue NoteChick CoreaJohn McLaughlin

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.