MÚSICA PARA O RIO DE JANEIRO

Lúcia Guimarães

13 de novembro de 2011 | 14h01

Sim, é possível tirar a carioca do Rio mas não o Rio da carioca. Especialmente quando o primeiro recado, às 7 horas da manhã,  é: “Mãe, fica tranquila, estou bem, os tanques e os helicópteros já passaram.”

 

AS QUATRO ESTAÇÕES CARIOCAS

Neste domingo em que o imperativo Ocupem, no Rio, se refere a tanques na Rocinha mas tem em comum com o Ocupem nova-iorquino os desfavorecidos,  pela economia ou pelo crime, uma pausa para outros sons.

Na quarta-feira, dia 16, o Cine Odeon vai receber, com entrada franca, o Quarteto Radamés Gnattali e o incomparável violonista Zé Paulo Becker para o concerto de lançamento do cd As Quatro Estações Cariocas. Aqui um aperitivo, Estação Leopoldina, cortesia do compositor Paulo Aragão.

 

NO COMPASSO DA HISTÓRIA CANTADA

E um programão para os cariocas ficarem em casa à noite. Um novo episódio da série No Compasso da História, A História Cantada do Brasil vai ar às 8 da noite, no canal 14 (Multirio). Hoje, a cantora e compositora Joyce vai tratar dos anos 1968 a 1970, anos de chumbo e de música memorável. Performances de Joyce, Marcos Sacramento, entrevista com Nelsinho Motta e arquivo musical de quem dispensa sobrenome, para lavar a alma: Caetano, Gil, Torquato, Capinam, Chico.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.