O papel das mulheres na eleição que define o futuro de Trump
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O papel das mulheres na eleição que define o futuro de Trump

Segundo dados compilados pelo Center for American Women and Politics, 428 mulheres no campo dos democratas disputam um cargo no Congresso ou para governador, em comparação com 162 candidatas republicanas

Redação Internacional

06 Novembro 2018 | 19h19

-Nas eleições de meio de mandato, consideradas um referendo para o presidente, que grupos de mulheres poderão apoiá-lo?

Os números dependem do seu convencimento político: 52% de mulheres brancas votaram em Donald Trump. Com efeito, dados de pesquisas mais acurados ligados a listas de eleitores sugerem que o porcentual era de quase 47% favoráveis a Trump e 45% preferindo Hillary Clinton.

A mulher do subúrbio se tornou uma espécie de Cálice Sagrado para os democratas. As mulheres desses distritos que geralmente elegem republicanos votarão nos democratas desta vez? Mulheres independentes que votaram em Trump apoiarão os democratas? Mulheres sem curso superior (que vivem nos subúrbios e em áreas rurais), que são a maioria da base feminina de Trump, manterão seu apoio ao presidente?

-Por que é relativamente pequeno o número de mulheres republicanas disputando um cargo desta vez?

Segundo dados compilados pelo Center for American Women and Politics, 428 mulheres no campo dos democratas disputam um cargo no Congresso ou para governador, em comparação com 162 candidatas republicanas. Destas, 210 democratas foram nomeadas frente a 63 mulheres republicanas.

A comoção com a eleição de Trump desencadeou uma intensificação do ativismo democrata e não surpreende como os números são desequilibrados. Inversamente, o movimento Tea Party em 2010 impulsionou muitas mulheres republicanas para a função pública e a advocacia.

Os republicanos desdenham a identidade política e ao contrário dos democratas não acreditam que seja importante o fato de mais mulheres se candidatarem a uma vaga na Câmara ou Senado. Pesquisas feitas com homens e mulheres que votam no Partido Republicano mostram que igualdade de gênero é uma questão muito menos importante para esses eleitores.


– Mais mulheres serão eleitas para os legislativos estaduais?

Todos os olhos estão fixados no Congresso, mas, particularmente diante de uma maioria conservadora na Suprema Corte, os Estados se tornaram laboratórios e campos de batalha ainda mais cruciais no caso de políticas envolvendo direito de aborto, justiça criminal e ampliação do Medicaid.

Os democratas tentam arrebatar o controle dos Legislativos estaduais das mãos dos republicanos que criaram organizações locais robustas. As mulheres fazem parte da estratégia. Elas agora constituem 40% do Legislativo do Arizona, controlado pelos republicanos, e 39% do Congresso de Vermont e a sua participação deverá aumentar em outros Estados. TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO / NYT