Taylor Swift declara apoio a democratas e faz disparar registro de jovens eleitores
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Taylor Swift declara apoio a democratas e faz disparar registro de jovens eleitores

Em resposta, Trump diz que agora gosta '25% menos' da sua música; país se prepara para eleições de meio de mandato no dia 6 de novembro

Redação Internacional

09 Outubro 2018 | 16h18

WASHINGTON – A primeira vez que a estrela pop Taylor Swift assumiu opiniões políticas publicamente – e manifestou apoio ao Partido Democrata – fez com que os registros online de eleitores disparassem, segundo o site Vote.org.

De acordo com a página não governamental que ajuda cidadãos dos Estados Unidos a realizar o registro para votar, foram 240 mil novas inscrições, boa parte delas enviadas por jovens. As eleições de meio de mandato ocorrem no dia 6 de novembro.

Cantora Taylor Swift no Billboard Music Awards 2018, em Las Vegas, Nevada

Cantora Taylor Swift no Billboard Music Awards 2018, em Las Vegas, Nevada/Foto: Reuters/Steve Marcus

O aumento acontece após uma postagem de Taylor em seu Instagram na noite de domingo, 7. Na legenda da foto, a jovem endossou dois democratas de seu Estado natal, Tennessee, para Câmara e Senado, e ainda alertou as pessoas para que se registrassem. Por comparação, pelo site, foram 57 mil novos registros durante todo o mês de agosto e 190 mil em setembro.

Visualizar esta foto no Instagram.

I’m writing this post about the upcoming midterm elections on November 6th, in which I’ll be voting in the state of Tennessee. In the past I’ve been reluctant to publicly voice my political opinions, but due to several events in my life and in the world in the past two years, I feel very differently about that now. I always have and always will cast my vote based on which candidate will protect and fight for the human rights I believe we all deserve in this country. I believe in the fight for LGBTQ rights, and that any form of discrimination based on sexual orientation or gender is WRONG. I believe that the systemic racism we still see in this country towards people of color is terrifying, sickening and prevalent. I cannot vote for someone who will not be willing to fight for dignity for ALL Americans, no matter their skin color, gender or who they love. Running for Senate in the state of Tennessee is a woman named Marsha Blackburn. As much as I have in the past and would like to continue voting for women in office, I cannot support Marsha Blackburn. Her voting record in Congress appalls and terrifies me. She voted against equal pay for women. She voted against the Reauthorization of the Violence Against Women Act, which attempts to protect women from domestic violence, stalking, and date rape. She believes businesses have a right to refuse service to gay couples. She also believes they should not have the right to marry. These are not MY Tennessee values. I will be voting for Phil Bredesen for Senate and Jim Cooper for House of Representatives. Please, please educate yourself on the candidates running in your state and vote based on who most closely represents your values. For a lot of us, we may never find a candidate or party with whom we agree 100% on every issue, but we have to vote anyway. So many intelligent, thoughtful, self-possessed people have turned 18 in the past two years and now have the right and privilege to make their vote count. But first you need to register, which is quick and easy to do. October 9th is the LAST DAY to register to vote in the state of TN. Go to vote.org and you can find all the info. Happy Voting! 🗳😃🌈

Uma publicação compartilhada por Taylor Swift (@taylorswift) em

Quase metade das inscrições dos últimos dias foram realizadas por pessoas entre 18 e 29 anos. O Vote.org disse que o crescimento foi provavelmente projetado pelo post da estrela, mas reconhece que não é possível medir o impacto direto.

Também na postagem para seus 112 milhões de seguidores, a cantora admitiu relutância em externar opiniões políticas no passado, mas afirmou que o cenário mundial a fez pensar de forma diferente. Ela também afirmou que não poderia apoiar a candidata republicana à Câmara e atual senadora Masha Blackburn.

“Seu histórico de votação no Congresso me aterroriza. Ela votou contra a igualdade salarial para as mulheres. Votou contra uma lei que tenta proteger as mulheres de violência doméstica, perseguição e estupro”, escreveu a cantora de 28 anos. Por conta disso, o presidente americano, Donald Trump, declarou que gostava “cerca de 25% menos” da música da cantora pop Taylor Swift, na segunda-feira, 8.

A posição de celebridades, no entanto, nem sempre servem para alavancar o número efetivo de votos. Em 2016, Hillary Clinton foi amplamente apoiada por atores, músicos e outros famosos. Em Ohio, Jay-Z e Beyoncé endossaram a democrata, na Pensilvânia foi Bruce Springsteen e na Flórida, Jennifer Lopez – nomes proeminentes no cenário pop local e mundial. Trump ganhou nesses três Estados. /Reuters e AFP