Haiti: a difícil reconstrução

Há um ano, o Haiti, o país mais pobre das Américas, sofria a pior tragédia da sua história. Um terremoto de magnitude 7.0 devastou grande parte do país, deixou mais de 230 mil mortos, 300 mil feridos e cerca de 1 milhão de desabrigados. Doze meses depois, pouca coisa mudou no país caribenho. A paisagem ainda é de casas destruídas, pouco saneamento básico e uma população que depende da ajuda internacional para sobreviver. Em meio à instabilidade política gerada por eleições mal resolvidas em novembro e a um surto de cólera que assola o país desde outubro, os haitianos completam um ano vivendo em condições extremas, à espera de progressos na reconstrução de sua nação.

Estadão

12 de janeiro de 2011 | 00h00

Menina dança em encontro de evangélicos no estádio nacional de Porto Príncipe. 9/1/2011. Foto: Ramon Espinosa/AP

Haitiana que teve a perna amputada por conta do terremoto dá biscoitos a seu filho, infectado com cólera. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Kena Betancur/Reuters

Porto Príncipe, 11/1/2011. Foto: Kena Betancur/Reuters

Próteses do Centro Internacional de Deficientes. 10/1/2011. Porto Príncipe. Foto: Eduardo Munoz/Reuters

Mulher carrega alimentos para vender na capital do país. Porto Príncipe, 11/1/2011. Foto: Kena Betancur/Reuters

Vendedora de alimentos de Porto Príncipe, 11/1/2011. Foto: Kena Betancur/Reuters

Haitiano prepara blocos de cimento para reconstrução de casas. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Kena Betancur/Reuters

Casas doadas pela Cruz Vermelha Internacional. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Eduardo Munoz/Reuters

Palácio presidencial, destruído pelo terremoto. Porto Príncipe, 11/01/2011. Foto: Kena Betancur/Reuters

Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Eduardo Munoz/Reuters

Reflexo de mercado reconstruído. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Pôsteres eleitorais na capital do país. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: EduardoMunoz/Reuters

Policial monta guarda durante comício de Jude Celestin, candidato à presidência. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Ramon Espinosa/AP

Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Ramon Espinosa/AP

Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Ramon Espinosa/AP

Amputados fazem jogo que relembra o aniversário do terremoto no Haiti. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Dieu Nalio Chery/AP

Jude Celestin, candidato governista à Presidência do Haiti, faz comício na capital. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Ramon Espinosa/AP

Criança com perna amputada brinca com primos em Porto Príncipe. 10/1/2011. Foto: Ramon Espinosa/AP

Vítima chega ao Centro Internacional de Deficientes para tratamento. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Eduardo Munoz/Reuters

Evangélicos rezam durante missa que relembra vítimas do terremoto. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Jogadores do Zaryen (azul) enfrentam time de Nacional de amputados(branco) em jogo amistoso. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Eduardo Munoz/Reuters

Milhares de haitianos em caminhada até o estádio nacional da capital. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Ramon Espinosa/AP

Cólera infectou mais de 155 mil no fim de 2010. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Paciente recebe tratamento contra cólera em centro de tratamento dos Médicos Sem Fronteiras. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Dieu Nalio Chery/AP

Jovens haitianas sobreviventes do terremoto. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Dieu NalioChery/AP

Mercado de Ferro, reconstruído após o tremor. Porto Príncipe, 10/1/2011. Foto: Allison Shelley/Reuters

Haitiana mostra foto de seu próprio resgate, realizado mais de duas semanas após o terremoto. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Dieu Naloi Chery/AP

Homens observam Porto Príncipe do alto de edifício destruído. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Allison Sheley/Reuters

Haitiana carrega doces que vende nas ruas da capital. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Eduardo Munoz/Reuters

Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Menino brinca perto de canal em área devastada pelo terremoto em 2010. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Kena Betancur/Reuters

Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Allison Sheley/Reuters

Mulher reza entre os escombros da principal catedral do país. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Allison Sheley/Reuters

Porto Príncipe, 8/1/2011. Foto: Eduardo Munoz/Reuters

Missa evangélica no estádio nacional de Porto Príncipe que relembra vítimas do terremoto. Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Allison Sheley/Reuters

Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Porto Príncipe, 9/1/2011. Foto: Jorge Silva/Reuters

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.