Evo: indígena, plantador de coca e presidente da Bolívia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Evo: indígena, plantador de coca e presidente da Bolívia

Perfil do presidente da Bolívia, Evo Morales

Conexão Eleitoral

04 de dezembro de 2009 | 21h28

Evo no palanque, em El Alto

Evo no palanque, em El Alto

Evo Morales deve ser eleito neste domingo mais uma vez presidente da Bolívia. Mas independentemente do resultado, ele já entrou para a história como o primeiro indígena a chegar tão alto, num país onde os indígenas são maioria.

Nasceu em uma humilde família camponesa de origem aimará, no oeste do país, mas após a morte de seus irmãos – por causa da fome – mudou-se para região de Chapare, no departamento de Cochabamba.

Trabalhou como plantador de coca e deve sua carreira política à atuação na defesa dos cocaleiros da região do Chapare. A simpatia de uma grande fatia da população, ele conquistou com simplicidade e fama de honesto e trabalhador – ele levanta às 4 horas e às 5 horas já está deliberando.

Nunca se casou, mas teve dois filhos, de duas mulheres diferentes. É pai de Eva, de 15 anos, e de Álvaro, de 14.

Aliado próximo do venezuelano Hugo Chávez, encabela o partido MAS (Movimento para o Socialismo) e defende a “refundação da Bolívia”, com promessas de dar mais poder às pessoas que ele diz serem oprimidas há séculos pela elite de ascendência europeia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.