4 razões para Trump temer protesto de jovens
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

4 razões para Trump temer protesto de jovens

Estudantes protestam diante da Casa Branca contra armas

Redação Internacional

19 Fevereiro 2018 | 20h24

1.
Eles são de uma geração pós-Columbine.
Desde o massacre na escola secundária Columbine, em 1999, vários outros ocorreram de forma similar. Esta é uma geração que cresceu se preparando para assassinatos em massa. Eles vivem hoje numa época em que a consciência política floresce. Não têm idade suficiente para serem ouvidos, mas estão em uma idade em que a política cresce em termos de importância.

2.
Não se queixam da ausência de solução, mas da inação.
Vivem em um mundo em que voz do indivíduo é poderosa. Têm visto inúmeras postagens no Twitter e no Facebook viralizarem e sabem que a voz de uma pessoa pode chegar a milhões.

Equipe médica socorre estudante ferido em escola da Flórida. ( AP)

3.
Os jovens estão menos propensos a ter armas.
Há uma correlação entre opinião sobre armas e posse de armas. Os proprietários de armas se opõem a novos limites à posse de uma arma e não consideram eficazes medidas de regulamentação. Segundo dados de Patrick Egan, da Universidade de Nova York, os jovens atuais são menos suscetíveis a armas que gerações anteriores.

4.
Este é um momento em que a ruptura política parece mais do que nunca possível.
A eleição de Trump e as mudanças do poder político no plano internacional são reflexos de um momento político em que as velhas regras não se aplicam mais, em função da organização informal na internet e do rebaixamento da mídia tradicional como veículo de retórica. Os estudantes de Parkland estão exercendo uma ação política em um momento em que os muros políticos estão ruindo. Uma das velhas regras era que o debate sobre o controle de armas seria impossível. Outra era que os adolescentes não tinham muito a contribuir para a discussão política nacional. Depois da semana passada essas regras ficaram precárias. / W. POST