As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A semana em sete notícias

Redação Internacional

13 de março de 2010 | 07h00

Leia abaixo um resumo com as principais notícias internacionais da semana.

Domingo, 7 de março – O Iraque se preparava para votar em sua segunda eleição livre após a queda de Saddam Hussein e a invasão americana. Reportagem do enviado especial Lourival Sant’Anna mostrou que o sectarismo, que marcou o Iraque entre 2004 e 2007 chegou à eleição enfraquecido. Leia o texto

Segunda-feira, 8 de março – Uma onda impressionante de ataques com morteiros, foguetes, granadas de mão e bombas em Bagdá e noutras partes do Iraque matou pelo menos 40 pessoas e feriu mais de 100, mas não impediu que muitos iraquianos saíssem para votar na segunda eleição para o Parlamento, que escolherá o primeiro-ministro e o presidente, desde a invasão de 2003. Leia o texto.

Terça-feira, 9 de março – Apesar dos intensos ataques com foguetes e bombas, cerca de dois em cada três eleitores iraquianos saíram para votar no domingo, na segunda eleição parlamentar desde a queda de Saddam Hussein, em 2003.  Segundo a Alta Comissão Eleitoral Independente, 11,7 milhões de eleitores foram às urnas, o que equivale a 62,5% do total. A participação ficou abaixo da eleição parlamentar de dezembro de 2005, de 76%, realizada no auge do conflito sectário no país. . Leia o texto.

Quarta-feira, 10 de março – O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, pediu ontem respeito às determinações da Justiça cubana nos casos relacionados à detenção de opositores e comparou os presos políticos da ilha a criminosos comuns. As declarações foram feitas no dia em que um grupo de dissidentes do regime comunista pediu a Lula que interceda pela libertação de 20 presos políticos. Entre os dissidentes que fizeram o apelo está o jornalista Guillermo Fariñas, há 13 dias em greve de fome para chamar atenção para o problema. Leia o texto

Quinta-feira, 11 de março – Depois de dizer que não se sentiu “constrangido” com as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que anteontem comparou os dissidentes cubanos em greve de fome a “bandidos de São Paulo”, o chanceler Celso Amorim responsabilizou ontem os EUA pelo regime ditatorial de Havana. Leia o texto

Sexta-feira, 12 de março –  Uma nova onda de tremores voltou a atingir o Chile momentos antes de o presidente eleito, Sebastián Piñera, tomar posse ontem diante do Congresso, na cidade portuária de Valparaíso. O terremoto espalhou pânico novamente no país, 12 dias após um sismo de 8,8 graus na escala Richter matar cerca de 500 pessoas. Nervosas, autoridades que assistiam à discreta cerimônia de posse de Piñera – que contou com apenas sete chefes de Estado – olhavam para o teto do Congresso temendo o pior. Leia o texto

Sábado, 13 de março – Israel bloqueou as vias de acesso à Cisjordânia e reforçou medidas para evitar manifestações de palestinos em Jerusalém Oriental. O cerco foi ampliado um dia após o vice-presidente americano, Joe Biden, deixar a região com um sabor de derrota em sua iniciativa para relançar “negociações indiretas”, e a dois dias da chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Tel-Aviv.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.