As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A semana em sete notícias

Redação Internacional

24 de abril de 2010 | 07h00

Leia abaixo as principais notícias da semana publicadas no caderno de Internacional do jornal O Estado de S. Paulo:

Domingo, 18 de abril – Barack Obama tem pressa. Apesar de a Casa Branca calcular que o Irã levará até cinco anos para ter armas nucleares, Obama dificilmente atenderá aos apelos do Brasil para adiar sanções a Teerã. Ele quer sanções no máximo após a revisão do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, no fim de maio. Obama tem pressa porque a Casa Branca está sob tremenda pressão interna para aplicar as sanções. Além disso, os EUA temem que Israel opte por um ataque contra os reatores iranianos, como fez com a Síria em 2007. Por fim, a questão nuclear é a grande aposta de Obama para salvar sua política externa.

Segunda-feira, 19 de abril – O primeiro-ministro britânico, o trabalhista Gordon Brown, precisa derrubar não um, mas dois rivais se quiser ser reeleito em 6 de maio. A tradicional disputa bipartidária com os conservadores, representados por David Cameron, foi atropelada por Nick Clegg, um liberal de 43 anos que já lidera algumas pesquisas desde que roubou a cena no primeiro debate, há quatro dias. Um desempenho que obrigou Brown a rever sua estratégia.

Terça-feira, 20 de abril – Ministros de Transportes dos 27 países da União Europeia cederam às pressões de companhias aéreas e decidiram reabrir parcialmente os aeroportos do continente. A decisão ocorre cinco dias após
a suspensão dos voos por causa da erupção do vulcão Eyjafjallajokull, na Islândia. A decisão foi tomada à tarde, horas depois de a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) ter acusado os governos europeus de omissão. As críticas fizeram com que o caos aéreo da Europa deixasse de ser uma questão técnica para se tornar uma crise política, alimentada por prejuízos estimados em US$ 1 bilhão.

Quarta-feira, 21 de abril – Transporte aéreo volta a funcionar de forma parcial em grande parte da Europa, no sétimo dia de erupções do vulcão Eyjafjallajokull, na Islândia. Segundo a Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea (Eurocontrol), 75% do espaço aéreo da região foi liberado e a expectativa era que 50% dos voos previstos conseguiriam decolar até o fim da noite. Ainda assim, nas grandes capitais, como Paris, a situação dos passageiros que tentam voltar para casa ainda é difícil. A retomada dos voos era lenta e desigual.

Quinta-feira, 22 de abril – Pelo menos quatro brasileiros ficaram retidos por mais de 24 horas por manifestantes bolivianos na estrada que dá acesso ao Salar de Uyuni, uma das principais atrações turísticas da Bolívia. Os manifestantes protestam contra o que consideram ser uma ação predatória ao meio ambiente da Mineradora San Cristóbal. 

Sexta-feira, 23 de abril – O presidente paraguaio, Fernando Lugo, conseguiu aprovar no Senado um projeto que institui estado de exceção em cinco regiões do Paraguai. A medida pretende facilitar as ações das Forças Armadas na busca por militantes do grupo armado Exército do Povo Paraguaio (EPP), dedicado, desde 2008, aos sequestros para fins de extorsão.

Sábado, 24 de abril – Pelos menos 60 pessoas morreram e 118 ficaram feridas em uma série de atentados em diferentes localidades do Iraque. Só em Bagdá foram 13 explosões – a maior parte dirigida contra a comunidade xiita, que está no poder no país desde a invasão americana, em 2003.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.