As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A semana em sete notícias – Novembro 2010

Redação Internacional

27 de novembro de 2010 | 07h00

Domingo, 21 de novembro –Uma sensação estranha toma conta de quem chega à passagem de San Ysidro.  De um lado está a Califórnia, Estado mais rico dos EUA.  Do outro, Tijuana, cidade-problema com fama de ser a bomba-relógio do México.  Todas as noites, perto dali, um infame jogo de gato e rato ocorre no deserto. Imigrantes que fogem do implacável controle da fronteira são caçados por membros do Minuteman, milícia de extrema direita que sequestra, tortura e mata latinos que tentam entrar no país.

Segunda-feira, 22 de novembro – A Coreia do Norte mostrou a um cientista nuclear americano que visitou o país este mês uma nova instalação construída secreta e rapidamente para o enriquecimento de urânio, confrontando o governo de Barack Obama com a perspectiva de o regime de Kim Jong-il estar se preparando para expandir seu arsenal nuclear ou construir um tipo muito mais poderoso de bomba atômica.

Terça-feira, 23 de novembro – Pelo menos 345 pessoas morreram e 329 ficaram feridas ontem no Camboja após um tumulto generalizado durante um festival realizado em uma ilha fluvial na capital, Phnom Penh. De acordo com as autoridades locais, milhares de pessoas entraram em pânico quando forçaram a passagem por uma ponte sobre o Rio Tonle Sap. Muitas foram pisoteadas. Outras caíram na água e morreram afogadas.

Quarta-feira, 24 de novembro – A Coreia do Norte disparou cerca de 200 peças de artilharia contra a Ilha de Yeonpyeong, da Coreia do Sul. O bombardeio incendiou quase 70 casas, matou 2 soldados sul-coreanos e deixou outros 14 feridos. Militares em Seul entraram em alerta máximo. Tropas dos dois países trocaram disparos e o enfrentamento foi considerado um dos mais grave desde o fim da Guerra da Coreia (1950-1953).

Quinta-feira, 25 de novembro – Um dia depois de a Coreia do Norte atacar a ilha sul-coreana de Yeonpyeong, o porta-aviões americano USS George Washington partiu em direção à região. De domingo a quarta-feira, EUA e Coreia do Sul planejam realizar manobras militares conjuntas. Segundo o Pentágono, a ação havia sido programada antes do bombardeio

Sexta-feira, 26 de novembro – O bombardeio norte-coreano à Ilha de Yeonpyeong fez mais uma vítima. O ministro sul-coreano da Defesa, Kim Tae-young, renunciou após intensos protestos contra a resposta de Seul ao ataque. A demissão coincidiu com a promessa do presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, de aumentar o número de militares em Yeonpyeong.

Sábado, 27 de novembro – As eleições no Haiti têm despertado pouca paixão entre seus habitantes. Os haitianos evitam discutir em quem votarão e assistem à propaganda política como se fosse programas de comédia. Não entraram no clima eleitoral, apesar de esta ser a primeira vez na história do país que um presidente democraticamente eleito passará a faixa para outro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.