As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A semana em sete notícias – Quarta Semana de Outubro 2010

Redação Internacional

30 de outubro de 2010 | 17h00

Domingo, 24 de outubro – O vazamento de quase 400 mil documentos sobre a Guerra do Iraque ocorre no momento em que cai a influência dos EUA sobre a política iraquiana e aumenta o domínio do Irã sobre Bagdá. Uma das milícias que, segundo os papéis divulgados pelo WikiLeaks, foi treinada pelo regime de Teerã deve integrar a coalizão proposta pelo premiê iraquiano, Nuri al-Maliki. Opositores ao atual primeiro-ministro disseram, no Iraque, que as acusações de tortura contra as forças iraquianas colocam em cheque a permanência de Maliki no poder, acentuando ainda mais a instabilidade política que vive o país desde as eleições de março. O novo governo não foi oficializado e o premiê segue interinamente no poder.

Segunda-feira, 25 de outubro – Um surto de cólera que matou mais de 250 pessoas nos últimos cinco dias no Haiti chegou à capital, Porto Príncipe, onde milhares de desabrigados vivem sem água e esgoto desde o terremoto que matou 250 mil pessoas, em janeiro. A Organização das Nações Unidas (ONU) informou que cinco pessoas morreram depois de chegar à cidade já infectadas. Pelo menos 3,5 mil haitianos estão internados com suspeita da enfermidade. “Dos cinco casos de cólera confirmados em Porto Príncipe, quatro eram de pessoas originárias de Artibonite (no norte do país) e uma do Departamento Centro”, informou o escritório de coordenação de assuntos humanitários das Nações Unidas, em Genebra, na Suíça. “Esses casos não constituem uma propagação da doença, já que não se trata de um novo foco (de infestação). A identificação desses cinco casos na capital, ainda que preocupante, demonstra que o sistema de vigilância da epidemia funciona.”

Terça-feira, 26 de outubro – O surto de cólera que já deixou 259 mortos e 3.342 infectados no Haiti pode obrigar o governo a adiar a eleição presidencial de 28 de novembro, comprometendo a estabilização do país mais pobre das Américas. Além do rápido avanço da doença, as forças de paz temem que a temporada de furacões, que começa agora, castigue ainda mais os acampamentos onde vivem 1,5 milhão de desabrigados do terremoto de 12 de janeiro. Segundo o comandante militar da Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (Minustah), o general brasileiro Luiz Guilherme Paul Cruz, uma das preocupações é manter a segurança diante da crise sanitária. Neste momento, diz o general, há 100% de estabilidade. Mas, “se considerarmos o pior cenário (de pico da doença), nos traz preocupação”. “Todo o esforço será feito para que nós tenhamos a eleição e possamos dar o atendimento a essa emergência”, garante Paul Cruz.

Quarta-feira, 27 de outubro – Um terremoto de 7,7 graus na escala Richter, seguido de um tsunami e uma erupção vulcânica, deixou pelo menos 138 mortos e 500 desaparecidos nas ilhas que formam a Indonésia, maior arquipélago do mundo, no Sudeste Asiático. O epicentro do tremor foi localizado nas Ilhas Mentawai, na noite de segunda-feira. O local atrai turistas do mundo todo. Pelo menos oito estrangeiros estavam entre os desaparecidos.

Quinta-feira, 28 de outubro – A política argentina está lançada num cenário de ainda mais incerteza, com a morte súbita do ex-presidente Néstor Kirchner – considerado o político que verdadeiramente exercia o poder no governo de sua mulher, Cristina. Ele estava em El Calafate, no extremo sul da Argentina, quando passou mal de madrugada. Às 7 horas, ao lado de Cristina, deu entrada no Hospital José Formenti. Pouco mais de duas horas depois, apesar das tentativas dos médicos de reanimá-lo, o homem mais poderoso da Argentina – o caudilho que alinhou o país à agenda bolivariana do venezuelano Hugo Chávez, acirrou a disputa do peronismo com produtores agrícolas, empresários e jornalistas, centralizou todas as decisões de governo e não poupou seus opositores do peso da máquina implacável do Estado – estava morto.

Sexta-feira, 29 de outubro – Políticos, celebridades e esportistas argentinos, além de vários líderes internacionais, velaram na ala dos “heróis latino-americanos” da Casa Rosada o corpo do ex-presidente Néstor Kirchner, morto de um ataque cardíaco na quarta-feira. Diferentemente dos rumores que circularam logo após a morte do líder, o enterro de Kirchner ocorrerá hoje, e não amanhã, como chegou a ser anunciado.

Sábado, 30 de outubro – Pacotes-bomba, enviados do Iêmen, assustaram ontem os EUA e colocaram o país, além de aliados europeus e árabes, em alerta. Os pacotes estavam endereçados a instituições judaicas de Chicago. O presidente Barack Obama havia sido avisado na quinta-feira sobre a ameaça e ontem prometeu em discurso combater a chamada “Al-Qaeda na Península Arábica”, isolada no Iêmen e considerada a principal suspeita pela tentativa de ataque.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.