As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A situação no Egito desde que Morsi assumiu o poder

Redação Internacional

14 de janeiro de 2014 | 07h00

(Atualizada dia 27 de janeiro) O referendo constitucional que ocorreu no Egito era parte do roteiro estabelecido pelo Exército após o golpe de Estado que derrubou o presidente Mohamed Morsi em 3 de julho.

Morsi foi o primeiro presidente democraticamente eleito no país e ganhou as eleições pela Irmandade Muçulmana em 2012, com o fim da ditadura de Hosni Mubarak.

– A trajetória política de Morsi desde que assumiu o poder no Egito e a situação no país após o golpe de Estado do ano passado:

17 de junho de 2012: Mohamed Morsi ganha a presidência do Egito com mais de 51% dos votos e assume como o primeiro presidente democraticamente eleito no país

8 de julho de 2012: Morsi ordena a restituição do Parlamento

22 de novembro de 2012: O presidente blinda seus poderes executivos e legislativos, causando uma onda de protestos

9 de dezembro de 2012: Morsi emite uma nova declaração constitucional, anulando o decreto que blindava seus poderes, mas deixando cláusulas polêmicas

25 de dezembro de 2012: Referendo aprova a nova Constituição do Egito, com 63,8% dos votos favoráveis em meio a acusações de fraude feitas pela oposição

26 de junho de 2013: Em discurso, Morsi afirma ter cometido erros em seu primeiro ano de mandato e diz ser necessário fazer mais reformas para alcançar os objetivos com a revolução de janeiro de 2011

01 de julho de 2013: Milhões de pessoas tomam as ruas para exigir a renúncia de Morsi. O Conselho Supremo das Forças Armadas (SCAF) dá ao governo e às forças políticas um ultimato de 48 horas para pôr fim à crise política no país

03 de julho de 2013: Golpe depõe Mohamed Morsi e Exército anula a Constituição

04 de julho de 2013: Após golpe, Adle Mansour é nomeado novo presidente interino. Exército ordena a prisão dos líderes da Irmandade Muçulmana

14 de agosto de 2013: Exército declara estado de emergência no Egito

27 de dezembro de 2013: Egito declara Irmandade Muçulmana como grupo terrorista

14 e 15 de janeiro de 2014: Egito tem referendo sobre mudança na Constituição

18 de janeiro de 2014: Egípcios aprovam nova Constituição

27 de janeiro de 2014: General Abdel Fatah al-Sisi é promovido à patente de marechal, a mais alta das Forças Armadas do país, segundo um decreto presidencial.  Sisi recebe o respaldo do Conselho Supremo das Forças Armadas para se candidatar à presidência do país

Tudo o que sabemos sobre:

Egito; Mohamed Morsi; referendo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.