Academia militar dos EUA proíbe tradicional guerra de travesseiros
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Academia militar dos EUA proíbe tradicional guerra de travesseiros

Decisão foi tomada após edição deste ano deixar 30 feridos, quando alunos colocaram capacetes dentro dos travesseiros

Redação Internacional

26 de novembro de 2015 | 10h57

Foto: Reprodução / Telegraph

Foto: Reprodução / Telegraph

NOVA YORK – A guerra de travesseiros que marca a despedida do verão dos alunos da prestigiada academia militar de West Point, nos EUA, foi proibida, informou na quarta-feira 25 o jornal The New York Post. O motivo: neste ano 30 pessoas ficaram feridas no evento.

A “brincadeira” do dia 20 de agosto, na qual participam os novatos da academia, terminou com pelo menos uma perna quebrada, vários ombros deslocados e dezenas de traumatismos cranianos.

A guerra de travesseiros é realizada na academia há mais de um século, organizada pelos alunos de primeiro ano como uma forma de festejar o fim de seu treinamento de verão.

Habitualmente se exige que os participantes usem capacetes para proteger a cabeça, mas neste verão aparentemente alguns alunos os utilizaram como arma, colocando-os dentro dos travesseiros junto com outros objetos contundentes.

A West Point, na qual se formam muitos dos altos comandantes do Exército americano, divulgou um relatório sobre o caso que concluiu que os militares veteranos não velaram pelo desenvolvimento seguro da tradicional guerra de travesseiros. /EFE