Advogada de direitos humanos, Amal Clooney defende jornalista preso no Egito
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Advogada de direitos humanos, Amal Clooney defende jornalista preso no Egito

Redação Internacional

26 de novembro de 2014 | 15h16

Cairo – A advogada Amal Clooney apresentou na terça-feira, 25, ao procurador-geral egípcio, Hisham Barakat, um pedido para que conceda “a liberdade sob fiança até a sentença de apelação” para o jornalista da Al-Jazeera Mohamed Fahmi, preso há quase  um ano. A advogada, mulher do ator George Clooney, fez o pedido em uma Corte no Cairo.

Amal e Clooney, no dia do casamento, em Viena (Itália) - Foto: Pierre Teyssot / AFP

Amal e Clooney, no dia do casamento, em Viena (Itália) – Foto: Pierre Teyssot / AFP

A defesa sustenta que Fahmi, condenado a 7 anos de prisão sob acusação de divulgar informações falsas, nunca apoiou a Irmandade Muçulmana. Segundo sua advogada, o jornalista teria até mesmo participado de manifestações contrárias ao ex-presidente Mohammed Morsi, ligado à Irmandade e tirado do poder com um golpe dos militares em julho de 2013.

Além de Fahmi, foram preos Baher Mohamed e Peter Greste. A prisão de jornalistas da Al-Jazeera, em dezembro, fez parte de uma ampla ofensiva contra islâmicos, na qual também centenas foram mortos ou presos. Os jornalistas alegam que foram presos por simplesmente estarem fazendo seu trabalho. / ANSA

Tendências: